Shovel Knight: Treasure Trove conclui seis anos de trabalho

Finalmente, todos os jogos derivados do original Shovel Knight foram lançados.

0
Análise Shovel Knight: Treasure Trove

Lá no longínquo ano de 2013, Shovel Knight se tornou um dos projetos mais bem-sucedidos de crowdfunding. A verba arrecadada garantiu o lançamento do jogo original (2014) e diversos complementos que ficaram seis anos no forno. Shovel Knight: Treasure Trove reúne todos eles e celebra o lançamento dos dois últimos (King of Cards e Showdown, 2019).

Falar de Shovel Knight em 2019 é bem diferente de falar de Shovel Knight em 2014. Nos últimos anos, a franquia ganhou prêmios e reconhecimento. Além disso, apareceu em tudo que é lugar! Shovel Knight está em Bloodstained, Yooka-Layle e Super Smash Bros. Ultimate (só para citar três relevantes – a lista de participações é enorme).

King of Cards Vs Specter Knight
E o trabalho de localização brasileira é genial!

Ou seja, você pode não ter jogado ainda, mas é bem provável que tenha pelo menos ouvido falar no cavaleiro da pá azul! Ao mesmo tempo, é impossível negar que Shovel Knight ainda é bastante “nichado”, voltado para um público saudosista, que gosta de plataformas difíceis e tem um senso de humor peculiar. E, certamente, eu estou neste grupo!

Então, este texto é uma carta de apresentação a Shovel Knight: Treasure Trove e seus cinco jogos distintos (Shovel of Hope, Plague of Shadows, Specter of Torment, King of Cards e Showdown). Vamos lá?

Primeiro, meus parabéns à Yatch Club Games

Até abril de 2017, quem comprasse Shovel Knight teria acesso a todas as expansões futuras. Porém, como você deve imaginar, desenvolver cinco jogos distintos com o orçamento de um não é exatamente simples.

Ao invés de fazer expansões menores e concluir o trabalho a qualquer custo, a Yatch Club Games escolheu o caminho difícil. Ela criou cada um dos jogos com uma campanha completa, com protagonistas, história, diálogos, upgrades e até fases diferentes.

A desenvolvedora precisou investir bastante tempo e aumentar o preço da coletânea final, que acabou nomeada de Shovel Knight: Treasure Trove . Claro, nenhum fã quer pagar mais caro. Porém, desta forma, ela respeitou e apoiou todos que compraram o jogo nos primeiros três anos.

O resultado é a consistência na qualidade dos jogos, difícil de encontrar em um projeto com este tempo de desenvolvimento e quantidade de conteúdo.

Shovel Knight: Treasure Trove – a coletânea de jogos

Agora, vamos saber mais sobre cada um dos jogos de Shovel Knight: Treasure Trove.

Shovel of Hope (2014): esta é a aventura principal que, em 2014, ganhou o prêmio de melhor jogo indie no The Game Awards. Você vive Shovel Knight, cavaleiro que está em jornada para enfrentar a imperatriz e resgatar a sua companheira, Shield Knight. Para vencer, Shovel Knight deve batalhar oito chefões diferentes, uma inspiração clara de Mega Man.

É ainda o meu preferido do pacote – e você pode conferir o review completo sobre tudo que achei dele lá em 2015.

Plague of Shadows (2015): aqui e nos próximos dois jogos, você joga como um dos chefões da campanha original. Neste, Plague Knight é o protagonista, um alquimista louco que gosta de preparar diversas bombas.

Das quatro expansões, é a que menos se distanciou do original. As fases são quase idênticas, com algumas áreas adicionais. Os ataques de Plague Knight são feitos a partir de combinações de ingredientes, que criam bombas com efeitos variados. Ele também pode dar pulos duplos.

Plague Knight quer criar uma poção que concederá qualquer desejo que ele quiser. Para isso, precisa vencer todos os chefes anteriores. Das quatro campanhas, é a que menos gosto.

Specter of Torment (2017): esta tem uma premissa muito mais legal. Você é Specter Knight, a aparição do cemitério. À ordem da imperatriz, deve recrutar o esquadrão que enfrentará Shovel Knight no primeiro jogo.

Specter of Torment
E sempre antes de começar a caçada, ele reflete sobre o passado.

Depois de Shovel Knight, Specter Knight é o personagem mais divertido de se jogar. Ele pode andar por um tempo pelas paredes, movimentar-se com cortes diagonais e lançar magias. Além disso, sua história de redenção, apesar de simples, é bem executada. A segunda melhor campanha.

Os lançamentos de 2019

King of Cards: a última campanha, é também a mais criativa. King Knight é um zé ruela que gosta de fingir que é rei. Ele quer ser o campeão de um jogo de cartas chamado Joustus. Para isso, irá contar com as saborosas refeições da mamãe para ficar forte e vencer seus inimigos (!). Sim, este é o mais escrachado do pacote.

Análise Shovel Knight: Treasure Trove
Você achou que eu estava brincando quando fiz referência à mamãe do King Knight, não é?

King of Cards é atípico porque mistura plataforma e ação clássicos de Shovel Knight com cardgame. Não chega a ser um Gwent, mas é um joguinho viciante, que fica bastante complexo com seu progresso. Lógico: você coleciona cartas, ganha cartas dos adversários e até as perde contra chefes!

King of Cards, Joustus
Leva um tempo para entender como jogar, mas acredite, tem uma boa dose de estratégia nesse jogo.

No lado plataforma, King Knight é um personagem surpreendentemente capaz. Ele tromba, rodopia e gira como um peão, o que faz dos seus desafios os mais fáceis das três campanhas.

Para mim, o menos acertado foi o fato de ser este jogo híbrido. O jogo poderia ser só uma campanha de jogo de cartas e não ficaria incompleto. As plataformas mantêm a qualidade do design de Shovel Knight, porém, também tornam King of Cards uma experiência mais comum.

Shovel Knight: Showdown: é um jogo de luta de arena muito, mas muito similar a Super Smash Bros. No entanto, não se preocupe: a movimentação, as ações e o combate são iguais a Shovel Knight.

Shield Knight, Shovel Knight Showdown
Dá para jogar com a Shield Knight, e ela é como o Capitão América: joga o escudo.

A quantidade de conteúdo que a Yatch Club Games incluiu no jogo é ridícula. Você começa o jogo com oito personagens, mas pode desbloquear 12, totalizando 20. Além disso, são várias arenas e modos de jogo (inclusive história, com uma série de batalhas).

O mais bizarro é que você pode até escolher como prefere obter tudo isso. Pode ser na raça (vencendo as conquistas) ou do jeito old-school. Tem dois cheats diferentes, um para liberar o conteúdo de modo temporário (para jogar com amigos, por exemplo), e outro para liberar para sempre.

Isso traz de volta o argumento de que a desenvolvedora realmente colocou tudo o que tinha na mesa. Shovel Knight: Showdown é um spin-off que poderia se contentar com alguns personagens e arenas e só. Mas aqui, temos uma proposta bem maior do que essa.

Shovel Knight: Treasure Trove: qual é o legado de Shovel Knight?

São seis anos de desenvolvimento e quatro jogos derivados do original. É difícil imaginar outra campanha de crowdfunding que entregou tanto jogo durante um período tão longo de tempo.

Com isso, vêm os prós e contras – nem todo mundo consegue (ou quer) acompanhar o mesmo jogo durante seis anos. Ao mesmo tempo, os jogos falam por si mesmos – a Yatch Club Games terminou a campanha do Kickstarter com a mesma qualidade que começou.

Se você quiser meu conselho, eu digo que Shovel of Hope é essencial para quem gosta de plataformas e jogos indies. Se gostar, os outros são muito bem-vindos para quem se encantou com o cavaleiro da pá azul.

Shovel Knight: Treasure Trove: e se cinco jogos não forem o suficiente…

A franquia Shovel Knight deu certo e, obviamente, irá continuar. O próximo jogo anunciado pela Yatch Club Games é Shovel Knight Dig, parecido com SteamWorld Dig. Confira o trailer logo abaixo: