Forza Horizon 3

0

Forza Horizon é um spin-off da série Forza Motorsport. Se a Motorsport foca mais em corridas sérias e profissionais, aqui a coisa é mais descontraída, envolvendo coisas como corridas contra trens e helicópteros.

Embora eu já tenha jogado alguns títulos da parte Motorsport da força, esta é minha primeira incursão no lado Horizon. Eu tinha bastante curiosidade em experimentar, mas não havia tido oportunidade até agora. E, meu amigo, como eu gostei da experiência!

Não é segredo aqui no DELFOS que eu curto justamente os jogos de corrida mais divertidos, na linha de Need For Speed. E veja só, Forza Horizon 3 lembra bastante a série quase anual da EA. Não chegaria a dizer que o que temos aqui é melhor, mas é no mínimo tão legal quanto. E isso é legal pra caramba!

HEY, CARLOS

Uma coisa que já estava presente em Forza Motorsport 6, mas que é tremendamente divertido é que você pode escolher seu nome e a narradora vai se referir a você por ele. Verbalmente, não por escrito. Ok, isso basicamente se resume a um “hey, Carlos” antes do que ela tem a dizer, mas ainda assim é muito bacana.

Depois de criar seu perfil, você é colocado em algumas corridas descompromissadas, que colocam você em vários dos cenários disponíveis no jogo. Dirija por praias, florestas e muito mais e tente não exclamar algo do tipo “Cara, que coisa linda!”.

Aqui vale uma comparação com o Need For Speed de 2015, que é quase fotorrealista. Ele consegue isso mais facilmente por ser um jogo totalmente noturno, e é lindão.

Forza Horizon 3 também é lindão, mas por motivos diferentes. Ele não chega a ser fotorrealista, mas seus cenários são mais coloridos e vibrantes justamente por isso, tornando impossível não se impressionar quando você sai de uma floresta fechada e cai em uma praia aberta e paradisíaca. Quando você analisa pequenos detalhes, como as árvores individuais, percebe que na verdade elas são bem simples, mas com o jogo em movimento, com tudo passando rápido pela tela, isso é praticamente imperceptível e o jogo é uma coisinha linda.

PÉ NA TÁBUA!

Horizon 3 tem um jeitão de Need For Speed, mas ele é menos inflado. Aqui não tem polícia, o que é excelente, já que a pior coisa do jogo da EA é ter que fugir dos policiais depois de uma corrida. Basicamente, as corridas aqui são focadas naquilo que realmente interessa. Há aquelas que envolvem ir do ponto A ao B, e outras onde o objetivo é dar algumas voltas em um circuito.

Há algumas variações dentro dessas opções. Por exemplo, cross country significa que você vai passar por vários tipos de pistas diferentes, de asfalto a estradas de terra e areia. No geral, no entanto, são basicamente essas duas formas de corrida, e o jogo brilha nelas.

Algo que não me interessa muito, mas que sei que muitos vão curtir é a possibilidade de customizar cada uma das provas. Você pode jogar da forma planejada pela desenvolvedora, ou então alterar características da corrida como os carros que podem competir, quantas voltas ou a hora do dia. Em alguns eventos dá até para escolher a música, e é claro que você pode compartilhar suas criações e jogar na criação de outros jogadores.

Mais irregular do que as corridas é o que o jogo chama de PR Stunts. Estes são desafios que podem ser coisas bem simples, como passar por um radar na maior velocidade possível, ou então provas mais elaboradas, como time trials. Alguns desses time trials são bem legais. Por exemplo, em um deles, meu objetivo era chegar a uma casa mal assombrada. O cenário estava cheio de neblina e a iluminação era fraca, e para completar, no rádio tocava esta música.

Outros são menos legais. Em um particularmente chato, eu tinha que fazer 25 drifts antes de o tempo acabar, mas por algum motivo muitas das minhas derrapadas não contavam para o placar. Provas como essas fizeram com que os PR Stunts fossem o equivalente em Horizon para a gordura tão presente nos Need For Speeds.

O lado bom é que você sempre tem várias opções de eventos para progredir, e acredito que seja possível ignorar quase completamente os stunts e focar nas corridas, se assim desejar.

Cada desafio cumprido rende fãs. Acumule determinadas quantidades de fãs e você pode liberar coisas como abrir novos festivais e upgrades para os festivais já abertos (ambos em geral têm o efeito prático de liberar mais corridas e stunts).

De tempos em tempos, ganhar fãs libera um evento especial, chamado de Showcase, que são os melhores e mais divertidos momentos de Forza Horizon 3. Estes eventos são corridas que visam o espetáculo e normalmente são absurdas. Entre as primeiras que você vai encontrar estão uma corrida contra um helicóptero, um trem e lanchas. E não faltam momentos espetaculares (devidamente destacados por câmera lenta), como você pular o trem ou, mais incrível ainda, várias lanchas pularem sobre o seu carro. E sempre depois de um showcase, você ouve comentários dos locutores nos rádios falando sobre suas proezas. E já que falamos disso…

RÁDIO SENSACIONAL

Tem várias estações de rádio para darem a trilha sonora da sua aventura. Há coisas para todos os gostos. De indie rock ao punk, passando por música eletrônica e clássica.

Curiosamente, há uma rádio que mistura metal e punk, e traz artistas do calibre de Bad Religion, Offspring, Rancid e Pennywise. As bandas de metal que tocam por ali são daquelas estadunidenses modernas e bem pesadas que eu não ouço muito, mas a seleção punk é muito boa. A rádio indie traz um rockinho mais leve e radiofônico que também desce muito bem, mas achei curioso que a rádio rap tenha mais músicas que eu conheço (como clássicos do Run-DMC e do Young MC) do que as de rock.

Outra que traz apenas faixas conhecidas é a de música clássica, que tem uma seleção nada menos do que fantástica com um monte de composições que absolutamente todo mundo conhece. E sabe, eu acho que música clássica combina tanto quanto o heavy metal com dirigir em alta velocidade. Ambos os estilos são épicos, técnicos e pesados. Fazer uma corrida noturna por uma floresta ouvindo Dvorak faz você se sentir um cavaleiro cavalgando cavalos feitos de aço.

Embora as rádios rock não tragam muitas músicas que eu conheça, gostei bastante da seleção geral. E mais impressionante ainda é a qualidade absurda do áudio dessas músicas. O som de Forza Horizon 3 é de fazer qualquer CD de áudio se encolher em posição fetal e chorar baixinho. Temos aqui um jogo que realmente vale a pena ser jogado em um equipamento de som de alta qualidade e em volumes bem altos. Tem até mixagens especiais, onde você pode escolher coisas como “foco na música” ou “foco no motor do carro”.

MUNDO ABERTO

Talvez o único problema mais sério que eu tive com Forza Horizon 3 é justamente o fato de ele te obrigar a jogar em mundo aberto. É comum jogos de corrida em mundo aberto permitirem que você se teleporte para o início da corrida, e este não possibilita isso.

O único fast travel possível é para os festivais, que são poucos pontos do mapa. Além disso, você precisa pagar pelo transporte com o dinheirinho do jogo, o mesmo que usa para comprar carros e upgrades. Não é como se tivesse faltado dinheiro para mim, mas mesmo assim gostaria de poder simplesmente começar uma corrida atrás da outra sem precisar dirigir entre elas.

HORIZONTE FORTE

Forza Horizon 3 é daqueles jogos que se propõem a ser simplesmente uma diversão descompromissada, algo que anda em falta nos games de hoje em dia. Ele cumpre sua proposta com louvor, sendo um dos jogos mais puramente divertidos de 2016. Se você nunca jogou a série Horizon, mas jogos de corrida mais descompromissados como Need For Speed e Burnout lhe apetecem, pode comprar sem medo. E se comprar, procure no jogo pelo grupo do DELFOS, por esse nome mesmo ou pela sigla “DLF”. Assim poderemos cumprir desafios juntos e até mesmo trocar designs de carros e de corridas.

CURIOSIDADE:

Forza Horizon 3 sai só semana que vem, mas aqui no DELFOS você pode saber o que te espera no jogo final uma semana antes do lançamento! m/

Galeria