Não tem quem se considere nerd que, em algum momento, já não tenha ouvido e tido de responder a famosa pergunta: qual editora você prefere, Marvel ou DC? Esse Fla X Flu entre as duas maiores editoras de quadrinhos de super-heróis dos EUA atiça a rivalidade de fãs, do mercado e dos profissionais envolvidos.

O escritor e jornalista Reed Tucker aproveitou o tema para transformá-lo em livro. Pancadaria conta as origens históricas dessa eterna treta e seus desdobramentos ao longo dos anos. E o faz de maneira leve, tornando a leitura bem divertida para os defensores de qualquer um dos lados.

A DC é mais antiga e reinou absoluta por cerca de 20 anos, gabando-se de ter publicado o primeiro de todos os super-heróis, o Superman, que logo ganhou a companhia de Batman, Mulher-Maravilha e outros personagens que formam um panteão de seres quase divinos.

Nos anos 1960, Stan Lee transformou a Marvel numa potência, com uma penca de criações quase simultâneas, como Quarteto Fantástico, Homem-Aranha e X-Men. E aí a DC ganhou sua grande concorrente e a guerra começou.

Pois enquanto a DC, por ser a primeirona, o lar do Superman, o maior de todos, parou no tempo, com histórias anódinas e um clima de empáfia para com a concorrência, a Marvel soube aproveitar as mudanças sociais do momento para criar histórias mais modernas, com personagens mais relacionáveis para os leitores.

Rapidamente a Casa das Ideias tomou a liderança do mercado, enquanto a DC, do alto de seu pedestal, simplesmente não entendia o apelo dos títulos do competidor. A partir daí, os ânimos se acirraram.

Delfos, Pancadaria, CapaA personalidade fanfarrona de Stan Lee fazia com que ele provocasse a Distinta Concorrência, e seus constantes fracassos em se equiparar à Marvel, seja na qualidade dos títulos ou no número de vendas, sempre com bom humor.

ESCOLHA SEU LADO

Já a DC, mesmo caindo para segundo lugar e tendo de aguentar as gozações, não descia do salto e não mudava sua atitude de superioridade, mesmo enquanto, na base da tentativa e erro, testava diversas estratégias para recuperar a primeira posição.

O livro cuida bem de vários aspectos que os fãs devem conhecer. A explosão de criatividade da Marvel na década de 1960 e a criação de um universo de personagens coeso. A bagunça cronológica da DC causada por algumas décadas a mais de existência, e por editorias que não conversavam, o que levou a diversas tentativas de limpar a casa.

O surgimento das megassagas, a explosão de títulos e capas variantes nos anos 1990, que levariam praticamente ao colapso do mercado de HQs estadunidenses (e à quase falência da Marvel) e vários casos de tretas envolvendo os executivos e forças criativas das duas editoras.

Tudo isso culminando na explosão dos heróis de quadrinhos no cinema, para onde o embate se alastrou com a Marvel (que abriu seu próprio estúdio) dando uma lavada constante no claudicante universo cinematográfico da DC.

E claro, entre tantas tretas, às vezes havia períodos de calmaria e paz entre ambas as partes, períodos esses que geraram os crossovers entre os personagens das duas editoras, fazendo a alegria dos fãs que sempre discutiam qual personagem de uma editora ganharia do de outra numa briga. Algo que teve seu auge na saga Marvel vs. DC, nos anos 1990.

É tudo muito bacana de ler e relembrar, mas muitas vezes fiquei com a impressão de que faltou mais aprofundamento. Os assuntos são abordados de maneira por vezes muito apressada. Muito dessa sensação veio por já ter lido Marvel Comics: A História Secreta, onde muitos dos casos da parte da Casa das Ideias que estão em Pancadaria, foram tratados de maneira muito mais aprofundada.

Ainda assim, Pancadaria cumpre bem sua função de contar essas histórias e anedotas de bastidores e traçar um panorama geral entre os desentendimentos e a rivalidade aparentemente eterna entre as duas editoras. Se você gosta de uma delas ou de ambas, e curte esses “causos” das coxias, a leitura é mais que recomendada.

Ah, sim, eu não respondi a pergunta: eu prefiro a DC. Mas durante anos também li muita coisa da Marvel e até hoje acompanho uma ou outra coisa deles. Mas, se tiver de escolher apenas um, é DC na cabeça! E você?