O primeiro episódio de Batman: The Enemy Within, a segunda incursão da Telltale no mundo do Batman, foi bombástico. Personagens importantes morreram e vários outros caminhos inesperados foram tomados. Como continuar essa história mantendo a intensidade? Bom, você não mantém. Este segundo episódio, chamado The Pact, dá uma boa pisada nos freios.

THE PACT

A história começa imediatamente onde o anterior parou, com nosso herói tendo que lidar com os surpreendentes acontecimentos que encerraram o primeiro episódio. Ele não tem muito tempo para bate-papo, no entanto, pois um grupo de criminosos está roubando o arsenal da polícia. Este parece um trabalho para o Batimão!

Batman: The Enemy Within, Delfos
Caso você não se lembre, o primeiro episódio terminou assim.

Chegando lá, ele encontra uma gangue que muito provavelmente está relacionada ao Charada, mas ele também conhece um novo inimigo: Bane, um sujeito grandão e invocado contra o qual acaba rolando a única cena de ação deste episódio.

Batman: The Enemy Within, Delfos
Deixe um comentário contando quantas vezes e em quais mídias você já viu esta cena.

Depois da porradaria, Bruce se lembra que John ou, se preferir, o Coringa, queria que ele conhecesse seus amigos. Parece um bom jeito de conseguir informações sobre a gangue que assola Gotham.

EU ESTOU APAIXONADO

Esta é a toada e a história principal deste episódio. Basicamente, você tomará decisões como Bruce Wayne enquanto ele tenta se infiltrar na gangue que envolve, além de Bane e John, a Arlequina e o Senhor Frio.

Batman: The Enemy Within, Delfos
E ele nem parece o Schwarzenegger, pô!
Batman: The Enemy Within, Delfos
Pudinzinha?

É a pedida para a Telltale novamente subverter as expectativas, especialmente no que diz respeito ao relacionamento entre os palhaços. Estamos acostumados a ver os dois em um relacionamento abusivo, no qual a Arlequina faz de tudo para agradar o Coringa. Pois aqui é o contrário, e a mocinha é a que abusa, manda e maltrata o palhaço do crime. Uhn… girl power, eu acho?

Os jogos da Telltale têm a tradição de colocar o jogador para tomar decisões impossíveis, mas este foi o ponto que mais me incomodou aqui.

Para agradar os bandidos e conseguir se infiltrar em sua gangue, Bruce precisa tomar atitudes que simplesmente parecem fora do personagem. O Batman é meio tipo o Rorschach, nunca se comprometer e tal, e este The Pact é basicamente sobre comprometimento. Até onde você aceita ir para conseguir prender os bandidos?

Claro, como também é tradição nos jogos da Telltale, a escolha é uma ilusão. Você vai ter que se submeter aos caprichos da Arlequina e de seus comparsas, mesmo que não queira. A questão é quanto você vai resistir até sucumbir.

Batman: The Enemy Within, Delfos
Pode acreditar, eu juro!

A boa notícia é que o momento que todos esperávamos, quando o Coringa seria finalmente melhor desenvolvido chega aqui. Nosso amigo, ainda pelo nome de John, acaba sendo o destaque do episódio, dando pequenas demonstrações do personagem sádico e divertido que ele virá a se tornar.

PROBLEMAS TÉCNICOS

Não posso deixar de falar que meu tempo com The Pact foi bastante atrapalhado por problemas técnicos. Por exemplo, na cena do elevador na torre Wayne, os personagens simplesmente pararam de se mover e eu fiquei apenas ouvindo os áudios. Tentei reiniciar o jogo e até o PS4, e nada, o problema continuava acontecendo, então eu diria que tem grandes chances de também acontecer contigo.

Batman: The Enemy Within, Delfos
Minha imagem ficava travada nesta cena, mas os personagens continuavam falando.

Outra coisa que realmente está enchendo o saco na Telltale é a sua insistência em coisas de fora do jogo. Estou cansado de ser solicitado a fazer login na minha conta da Telltale. Eu não quero ter uma conta da Telltale, pô. Para de me encher o saco toda vez que eu rodo o jogo.

A Telltale também tem atitudes que lembram os antigos shareware. Delfonautas mais novos que não saibam do que se trata, eram jogos e programas que podiam ser copiados livremente, mas que traziam apenas uma parte do produto final liberado. Era como um demo, e por isso eles viviam insistindo a todo momento para você fazer a compra.

Batman: The Enemy Within é igualmente insistente. Toda vez que eu entrava, saía ou fazia qualquer alteração no jogo, era brindado com a seguinte tela, pedindo para eu comprar o passe de temporada.

Batman: The Enemy Within, Delfos

Isso já seria chato caso eu tivesse optado por simplesmente comprar os episódios individualmente, mas se torna ainda mais pentelho pelo fato que eu já tenho o passe de temporada. Pelo menos os antigos shareware paravam de encher o saco quando você comprava o programa completo. Além do fato de que, você sabe, eles eram de graça, enquanto todos os episódios deste jogo são pagos, então se você está vendo essa insistência é porque já pagou algo. Isso não deveria acontecer.

BATMAN: THE ENEMY WITHIN

Eu gostei muito do primeiro episódio desta temporada. Este dá uma freada forte e tem toda a cara de ser apenas um intervalo entre as partes mais poderosas e importantes da história. Além disso, me preocupa que algumas das coisas que eles fizeram o Bruce Wayne fazer podem não ter mais volta.

LEIA TAMBÉM: Batman: The Enemy Within mostra que as bolas da Telltale estão enormes

Ainda assim, estou interessado em ver como esta história termina. Mantenha-se delfonado, mais matérias virão conforme a história se desenvolve.

REVER GERAL
Nota:
PONTUAÇÃO GERAL

Vire assinante do Delfos!

Temos planos a partir de R$1,00 mensal e você pode ganhar um monte de coisa legal. Mais importante, você ajuda a gente a tornar o DELFOS cada vez maior e melhor.


Clique aqui e acesso a nossa ágina no Padrim


Se você gosta do nosso conteúdo, também pode ajudar sem colocar a mão no bolso compartilhando este post nas suas redes sociais através dos botões abaixo.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorDica Musical do Dia: Eths
Próximo artigoSpielberg delineia a trajetória de um dos diretores mais famosos de todos os tempos
Carlos Eduardo Corrales
Editor-chefe e editor de games. Fundou o DELFOS em 2004 e habita mais frequentemente as seções de cinema, games e música. Trabalha com a palavra escrita e com fotografia. Já teve seus artigos publicados em veículos como o Kotaku Brasil e a Mundo Estranho Games. Formado em jornalismo (PUC-SP) e publicidade (ESPM).