A esta altura do campeonato você já assistiu a Vingadores: Guerra Infinita, correto? E deve estar imaginando o que vai acontecer com o universo cinematográfico Marvel agora que a casa literalmente caiu, não é?

Bom, pois não é em Homem-Formiga e a Vespa que você vai encontrar respostas (talvez pistas), visto que ele repete exatamente o mesmo esquema do primeiro filme, inclusive o fato de ser lançado imediatamente após um longa dos Vingadores.

Se o primeiro longa vinha depois de Era de Ultron para apresentar o diminuto herói e deixar o clima mais leve após a destruição na Sokovia, este aqui vem para dar uma limpada no palato após a chegada de Thanos em Guerra Infinita.

Delfos, Homem-Formiga e a Vespa

A história continuará em Vingadores 4, mas, por enquanto, novamente o Homem-Formiga serve como um interlúdio, para dar uma refrescada com uma aventura muito mais leve e totalmente contida. Quem estava esperando pela continuação da grande história dentro do MCU, pode se decepcionar. Quem quer apenas um filme divertido de super-heróis sem grandes ligações, pode gostar.

ELE ENCOLHE

Essencialmente, Homem-Formiga e a Vespa resgata o clima geral do primeiro filme, aplicando a “lei da continuação” (aquela que dita que uma sequência precisa ser maior em todos os aspectos), visto que agora temos a Vespa junto a Scott Lang. Temos uma vilã, a Fantasma, com um poder mais legal. Temos sequências de ação mais elaboradas. E sim, também temos mais Luis! E eu é que não vou reclamar disso.

Na trama, após a visita de Scott ao reino quântico no final do primeiro filme, Hank Pym e Hope Van Dyne desenvolvem um plano para resgatar a Vespa original, Janet Van Dyne, que está presa lá há décadas. Para isso eles precisam mais uma vez da ajuda de Scott.

Delfos, Homem-Formiga e a Vespa, CartazAo mesmo tempo, as relações entre eles estão estremecidas após as ações de Scott na Guerra Civil. Mas a aparição da Fantasma, uma vilã capaz de ficar intangível e desaparecer, e que está atrás justamente da tecnologia que Hank precisa para trazer sua mulher de volta, vai fazer com que o trio precise se unir para repelir a vilã, executar o resgate e rumar em direção a um final feliz.

ELE ESTICA

É essencialmente o primeiro filme, novamente, com a já referida lei das continuações, e pequenas inversões. Tipo, se o primeiro era essencialmente um filme de roubo, neste são os heróis que precisam correr atrás de algo que lhes foi surrupiado.

Há coisas legais, como as motivações da Fantasma, que é uma vilã muito mais desenvolvida e interessante que o Jaqueta Amarela do primeiro. E a presença da Vespa, com um traje mais avançado que o do Homem-Formiga, gera as melhores cenas de ação.

As quais, por sinal, estão bem mais desenvolvidas, utilizando-se muito bem dos poderes de encolhimento e crescimento não só dos personagens, mas também de objetos.

No mais, as piadinhas estão de volta. É um filme muito mais leve que a grande maioria da Marvel, parecendo um grande Sessão da Tarde, uma aventura de matinê redondinha para você se divertir enquanto o próximo capítulo da saga de Thanos não chega.

Delfos, Homem-Formiga e a Vespa

Visto sob essa pegada de Sessão da Tarde, ele é bem competente, ainda que basicamente apenas repita e amplifique tudo que deu certo no primeiro. É um daqueles casos onde tudo que há de melhor nele estava nos trailers. Não há grandes surpresas, mas é um mais do mesmo muito bem feito.

Só que ele também pode causar aquele mesmo efeito de Homem de Ferro 3 (que, fora o que vou falar agora, também foi ruim de doer) de decepção por não ter qualquer ligação com o primeiro Vingadores. Após uma aventura de escopo muito maior, pode ser difícil para alguns fãs voltar a uma narrativa de escala reduzida (e sim, o trocadilho foi intencional).

ELE CAVALGA FORMIGAS VOADORAS

Delfos, Homem-Formiga e a Vespa

Em suma, Homem-Formiga e a Vespa, assim como o primeiro Homem-Formiga, é um filme menor dentro do MCU. Isso não é necessariamente um demérito, visto que a intenção de ambos os longas é justamente ser algo mais leve e solto dentro dessa grande narrativa.

Pode ser mais descartável e desagradar quem esperava pela continuação do arco maior, mas visto apenas como um filme independente, é uma boa aventura que mata de forma agradável uma tarde de sábado num multiplex qualquer.

CURIOSIDADE:

– O longa tem duas cenas pós-créditos. A primeira é muito legal e a segunda é uma bobagem.

LEIA NOSSAS RESENHAS DO UNIVERSO CINEMATOGRÁFICO MARVEL:

Homem de Ferro – Onde tudo começou.

O Incrível Hulk – Até por favelas cariocas o gigante esmeralda passou.

Homem de Ferro 2 – Agora com ainda mais Tony Stark.

Thor – E não é que o deus do trovão é meio fanfarrão?

Capitão América: O Primeiro Vingador – Apresentando a última peça que faltava na fase 1.

Os Vingadores – The Avengers – O filme de super-heróis mais esperado da história.

O Hulk de Ang Lee – Não faz parte da história, mas, ei, é o Hulk!

Homem de Ferro 3 – Has he lost his mind? Can he see or is he blind?

Thor: O Mundo Sombrio – A fanfarronice está de volta.

Capitão América 2: O Soldado Invernal – O Sentinela da Liberdade está de volta. E dessa vez é pessoal.

Guardiões da Galáxia – Somos como o Kevin Bacon.

Vingadores: Era de Ultron – Toninho Stark e seus superamigos estão de volta.

Homem-Formiga – Encerrando a fase 2 da Marvel no cinema.

Capitão América: Guerra Civil – De que lado você está?

Doutor Estranho – O Mago Supremo da Terra faz sua estreia no MCU.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar – Eu acho que o Hulk deve ser cheiroso.

Thor: Ragnarok – É o Hulk numa banheira.

Pantera Negra – Cultura é mais importante do que raça.

Vingadores: Guerra Infinita – 10 anos, 18 filmes, seis joias!