Girlie Hell – Hit and Run

0

Recebemos recentemente aqui na redação o novo álbum do Girlie Hell, Hit and Run, e após uma pequena discussão sobre quem resenharia o trabalho das meninas, eu saí vencedor!

A banda, formada por Bullas Attekita (vocal/guitarra solo), Júlia Stoppa (guitarra base), Fernanda Simmonds (baixo) e Carol Pasquali (bateria), já tem um CD, o Get Hard, lançado em 2012 e que fez um certo sucesso, garantindo ao Girlie Hell participação em vários festivais, onde puderam tocar com Bad Religion, Kyuss Lives e Crucified Barbara. Mas o nosso foco é no novo trabalho delas.

Hit and Run foi lançado em vinil no formato de compacto de 7 polegadas e tem somente duas faixas: Gunpowder no lado A e Till the End no lado B. O vinil é bem bonito, na cor vermelha e a capa é bem trabalhada, deixando a bolacha bem chamativa. Eu particularmente gostei. Na nossa galeria tem uma foto da banda com o vinil.

Com um som voltado para o Hard Rock, embora se definam como metal, as duas faixas são bem interessantes. Gunpowder, o lado A do vinil, é a melhor e com peso na medida certa, mostrando uma boa evolução comparada ao Get Hard, de 2012. Com bons riffs de guitarra, uma bateria competente e um baixo que não se destaca na música, Gunpowder tem um ótimo refrão, daqueles que grudam rapidamente na cabeça e não é difícil você se pegar cantarolando ele por aí. Eu mesmo fiquei com ele refrão martelando na cabeça por um certo tempo.

Já o lado B tem Till the End, com um riff mais interessante e uma levada mais rápida, mas com o mesmo peso da faixa anterior. Mas o que deixa bem interessante é que ela alterna o já citado peso com passagens mais tranquilas, daquelas que começam só com um arranjo na guitarra e que você sabe que vai terminar explodindo no final da passagem. Particularmente, gosto muito disso, desde que seja bem executado e aqui elas conseguiram.

Mas o que realmente não curti nas duas músicas foi o tempo de duração das faixas, ambas com cerca de cinco minutos e 30 segundos. Gunpowder é boa, mas com essa duração mostra sempre mais do mesmo e não tem nenhuma passagem de destaque que justifique o tamanho. E Till the End tem a sua duração real em 4:10m, mas depois disso a faixa fica 33 segundos em silêncio para termos mais um pouco de música, que não tem nenhum diferencial do que foi ouvido antes. E convenhamos que, depois de um tempo em silêncio, sempre fica a expectativa de que teremos algo tremendão vindo depois. E o Girlie Hell ficou devendo nessa passagem.

Hit and Run é recomendável para quem curte som bem feito, e feito por meninas, diga-se de passagem. Se os defeitos que apontei acima não te incomodam, é certeza de diversão garantida. E se te incomoda, vale a audição mesmo assim, pois é trabalho de qualidade!

Galeria