Cães Selvagens

0

Pois é, delfonauta, chegou aquela época mágica do ano conhecida como a estreia de um novo filme do grande mito da sétima arte conhecido como Nicolas Cage. Regozije-se, ó infiel, pois o Sr. Gaiola mais uma vez está entre nós em toda sua glória canastrona em celulóide.

Cães Selvagens é também o novo filme de Paul Schrader, que embora tenha uma extensa carreira como diretor, talvez o delfonauta mais cinéfilo conheça melhor como roteirista de grandes clássicos do cinema estadunidense, tais como Taxi Driver e Touro Indomável. Ou seja, este filme poderia ter potencial.

Cage é Troy, um bandido pé-de-chinelo que acaba de sair de uma longa temporada na prisão e, junto de dois comparsas, arruma uns trabalhinhos sujos para descolar uma grana. Porém, ele decide que está de saco cheio de ganhar trocados e pensa que ele e sua turma estão prontos para finalmente pegar um serviço maior.

É impressionante como desde os primeiros minutos o longa mostra sua falta de personalidade tentando copiar descaradamente cineastas que transitam bem por histórias de bandidos, crimes e armações. Mais especificamente, Quentin Tarantino e Guy Ritchie.

Tenta pegar os diálogos espertos e os personagens “figuras” (o papel do Willem Dafoe é o maior exemplo disso) de um e o estilo visual apurado e acelerado do outro, mas acaba resultando mesmo num mashup “dos pobres” destes dois diretores, uma versão genérica ao extremo.

Todas as situações são manjadas, o humor não é engraçado, o roteiro é óbvio e, para variar, como você bem sabe, Nicolau já desencanou de ser levado a sério há um bom tempo. Tem toda uma geração que sequer sabe que um dia ele soube atuar e era considerado bom nisso. Agora, mais uma vez entrega uma performance no piloto automático, com alguns momentos da tradicional surtada cageana patenteada.

Não chega a ser uma bomba. Na verdade, durante quase toda sua duração eu o estava considerando um filme nada, assistível, mas plenamente esquecível. Só que aí, no terceiro ato, ele se estendeu mais do que deveria, perdendo meio Alfredo no processo e terminando como um trabalho apenas regular e olhe lá.

Até dá para assistir Cães Selvagens, mas tem tanta coisa melhor dentro desse gênero que, sinceramente, não sei por que você iria fazer isso. Ainda mais no cinema. Então escolha outra coisa e não se desespere, quando você menos esperar, o grande Cage retorna às telas. Quem sabe em breve ele não acerta uma?

REVER GERAL
Nota
Artigo anteriorTroll and I
Próximo artigoOs Smurfs e a Vila Perdida
Formado em cinema (FAAP) e jornalismo (PUC-SP), também é escritor com um romance publicado (Espaços Desabitados, 2010) e muitos outros na gaveta esperando pela luz do dia. Além disso, trabalha com audiovisual. Adora filmes, HQs, livros e rock da vertente mais alternativa. Está no DELFOS desde 2005.