De vez em quando, um bom filme policial cai bem. E de vez em quando cai ainda melhor quando se trata de um que deixa os tiroteios de lado para priorizar o desenvolvimento da história e dos personagens. Não me entenda mal, eu gosto de tiroteios, mas é sempre bom dar uma variada.

E Terra Selvagem se encaixa muito bem nessa categoria de filme policial com mais “sustância” e menos pirotecnia. O Gavião Arqueiro é um caçador do departamento de pesca e vida selvagem de uma cidadezinha no Wyoming. Durante uma missão de rotina para matar os predadores que atacam o gado dos fazendeiros locais, ele encontra um cadáver no meio da floresta congelada.

Uma jovem agente do FBI, que por acaso é a Feiticeira Escarlate, é chamada para investigar o crime, ocorrido em terras de uma reserva indígena. E como o cara conhece bem a região e é bom em encontrar trilhas na neve, ela pede sua ajuda, rolando assim uma mini-reunião de Vingadores.

Como eu disse, este é um filme que prioriza a trama e, sobretudo, o desenvolvimento dos personagens. A história pessoal do caçador, que o motiva a ajudar, e o fato de que a agente sabe que não está preparada para o caso e que precisa de toda a ajuda que puder conseguir são elementos muito bem explorados pelo roteiro.

Delfos, Terra Selvagem, Cartaz

O nível das atuações também é bem bom e a ambientação, no meio da neve, numa imensidão de branco, também ajuda com a sensação de desolação que o filme passa.

Este é o tipo de história onde a jornada é mais importante que sua resolução. A investigação é muito mais legal que a descoberta do “quem foi”. Tanto que, embora o desfecho tenha até alguns momentos bem tremendões, tudo que veio antes é ainda mais interessante que a conclusão da história.

Terra Selvagem é uma boa história policial. Sem surpresas, sem novidades, fazendo o básico de forma muito bem feita e centrando mais no lado humano e menos nas balas voando. Para quem gosta de uma boa história do gênero, é um programa mais que recomendado.

REVER GERAL
Nota
PONTUAÇÃO GERAL

Vire assinante do Delfos!

Temos planos a partir de R$1,00 mensal e você pode ganhar um monte de coisa legal. Mais importante, você ajuda a gente a tornar o DELFOS cada vez maior e melhor.


Clique aqui e acesso a nossa ágina no Padrim


Se você gosta do nosso conteúdo, também pode ajudar sem colocar a mão no bolso compartilhando este post nas suas redes sociais através dos botões abaixo.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorVeja os novos episódios de Entre Linhas
Próximo artigoA Noiva é um filme russo de terror sobrenatural
Carlos Cyrino
Formado em cinema (FAAP) e jornalismo (PUC-SP), também é escritor com um romance publicado (Espaços Desabitados, 2010) e muitos outros na gaveta esperando pela luz do dia. Além disso, trabalha com audiovisual. Adora filmes, HQs, livros e rock da vertente mais alternativa. Está no DELFOS desde 2005.
  • Patesi

    Zero conhecimento sobre esse filme, e depois da crítica, já fiquei curioso. Valeu!