Terra Estranha

0

Filmes australianos costumam ser bem legais. Eu gosto muito da produção cinematográfica da terra dos cangurus e, por isso, quando um chega por aqui, se parecer interessante, eu sempre dou uma chance. Terra Estranha parecia, num primeiro momento, se encaixar nesta categoria.

Um suspense centrado em uma família que acaba de se mudar para uma cidadezinha no meio do nada na Austrália. Claramente, ninguém está feliz por ter de morar ali, mas fica subentendido que há algum motivo para eles terem sido forçados a parar naquele fim de mundo.

Um dia, os dois filhos desaparecem, deixando seus pais (Nicole Kidman e Joseph Fiennes) em parafuso. Enquanto o policial local (Hugo Weaving) conduz as investigações e as buscas dos garotos, algumas coisas serão reveladas, explicando certos fatos e outros tantos não.

Podia ser um suspense de primeira, utilizando-se dos belos cenários do sertão australiano como pano de fundo (e de fato, a cena da tempestade de areia é bem bacana) e contando com uma trinca de nomes conhecidos no elenco para atrair público. Ou seja, os ingredientes estavam certos, mas alguma coisa não deu liga.

Ele prefere seguir aquele caminho de produções independentes do tipo mais mequetrefe de dar aquele “migué” de não dizer nada e confundir essa falta de direção e objetivo com estilo. Sim, algumas coisas serão mesmo explicadas ao longo do caminho, de maneira natural, fugindo do excesso de exposição.

Porém outras tantas coisas sugeridas ficam pelo caminho mesmo sem a menor cerimônia, para nunca mais serem mencionadas. Nisso, a condução começa a se arrastar e esse problema de ritmo rapidamente torna o longa enfadonho e faz o interesse pela resolução da trama decair consideravelmente.

Para completar, ele ainda apresenta um dos finais mais insatisfatórios dos últimos tempos. No melhor estilo “não vamos resolver nada, vamos apenas rolar os créditos finais e você que se dane”. Foi para isso que eu investi 112 minutos do meu precioso tempo? Se você também pensa assim, prepare-se para passar raiva.

Terra Estranha tinha potencial para ser bem bacana. A história, a ambientação, tudo rendia um bom suspense ou mesmo um drama denso. Contudo, não é isso que ele entrega, preferindo sair pela tangente. Como resultado, rende só um filme fraco e sem graça. Definitivamente este aqui está longe de figurar entre os melhores exemplares vindos da pátria de Mick Dundee.