Chaves Kart

0

Chega hoje às lojas tupiniquins Chaves Kart, um jogo cujo lançamento só não é mais surpreendente do que seu timing, saindo tantos anos depois que a série na qual se inspirou foi encerrada.

Ok, o jogo é baseado na animação, que vem sendo produzida desde 2006, mas ainda assim, convenhamos que o desenho não chega nem perto da popularidade da série live-action.

NÃO SE MISTURE COM ESSA GENTALHA!

Chaves Kart foi feito pela desenvolvedora colombiana Efecto Studios e parece ter sido feito com o Brasil (além de países de língua espanhola) em mente. Segundo informações da caixinha, o jogo conta com as mesmas vozes da animação, em espanhol e em português.

Mais do que qualquer outro, este seria um jogo legal de se jogar em português, uma vez que eu nunca assisti ao Chaves no idioma original, porém eu não consegui encontrar nenhuma opção de idioma no jogo. Aqui ele ficou com as vozes em espanhol e com os textos em inglês, uma mistura um tanto bizarra. Mas falemos do jogo. O que esperar de algo chamado Chaves Kart?

Se o delfonauta, todo empolgado, gritou “um clone de Mario Kart”, pode pegar sua ruiva com bacon, pois é exatamente o que temos aqui. Ok, ok, se você gritou “uvas estragadas” ou qualquer outra baboseira sem sentido pode pegar sua ruiva com bacon também. Eu sou um ditador benevolente e todo homem deveria ter pelo menos uma ruiva com bacon em casa.

Chaves Kart é exatamente isso. Não uvas estragadas ou ruivas com bacon, mas um clone de Mario Kart. Basicamente você escolhe um dos personagens da vila, escolhe um dos torneios e vai embora, pegando barris que dão itens que variam de jornais que invertem o controle dos seus desafetos até sanduíches que dão turbos ilimitados durante um curto espaço de tempo.

Praticamente todos os itens têm seus equivalentes na longeva série da Nintendo, o que torna este um jogo sem maiores atrativos ou características únicas. A única coisa que eu não tenho certeza se tem no Mario Kart que tem aqui (e o delfonauta pode refrescar minha memória nos comentários) é que, quando você faz um drift, ganha um pequeno turbo. Pois é, exatamente como em outro clone do Mario Kart, LittleBigPlanet Karting.

ZÁS, ZÁS!

Se a jogabilidade em si não apresenta novidades, a graça para os fãs pode ser em jogar com os personagens da vila. Tem mó galera aqui, passando pelos óbvios Chaves, Quico e Seu Madruga até outros bem mais secundários, como a Pópis ou o Godinez. Tem até um tal de Ruffino Meanface, que eu não faço a menor ideia de quem seja, em detrimento da Chiquinha (que ok, não aparece no desenho, mas ainda assim faz falta). Curiosamente, não tem o carteiro Jaiminho, mas uma das pistas é em Tangamandápio.

As pistas variam entre as que fazem sentido, como a supracitada e uma em Acapulco, até outras totalmente nonsense, como uma no espaço sideral. Também tem pelo menos duas pistas que são no Brasil, e em uma delas você atravessa um estádio de futebol no meio de um jogo da seleção.

Aliás, já que falamos de futebol, não é à toa que o lançamento do jogo é hoje. Afinal, hoje o Brasil joga contra o México na Copa do Mundo. Espertinha essa turma, não?

Voltando ao jogo, os personagens têm estatísticas diferentes, mas os menus não te mostram elas, o que deixa bem difícil saber quais são os mais rápidos, os mais fortes e assim por diante. Particularmente, eu gostei de jogar com o Quico, mas muito disso se deve às coisas que ele fala. No começo de algumas corridas, por exemplo, ele exclama empolgado “Quico, Quico, rá, rá, rá!” e quando ele é atacado grita em desespero “Basta, por favor”.

Uma coisa que me chamou a atenção é o nome dos personagens em inglês. Ok, o Chaves é Chavo, como todo mundo sabe, mas você sabia que o Seu Madruga é o Mr. Raymond, ou que o Godinez é o Gordon? Pois é, pois é, pois é.

O visual do jogo é bem interessante, com cara de desenho animado, cores bem vibrantes e excelentes efeitos de iluminação. Não é nada tecnicamente muito aprimorado, e dá para imaginar esses gráficos no Wii, mas é esteticamente agradável e um belo refresco em comparação com os jogos marrons que habitam as gerações atuais.

VIM LHE TRAZER ESTE HUMILDE PRESENTE

Chaves Kart é um jogo nada. É derivativo até dizer chega, se limitando a copiar na cara dura o Mario Kart. Ainda assim, não é ruim de jogar e possibilita algumas horinhas de diversão para aqueles que gostam da série da Nintendo, mas não querem investir em um 3DS ou em um Wii U apenas para um jogo. Afinal, quem não tem Mario, corre com Chaves.

Galeria

REVER GERAL
Nota
Artigo anteriorVizinhos
Próximo artigoO Homem Duplicado
Editor-chefe e editor de games. Fundou o DELFOS em 2004 e habita mais frequentemente as seções de cinema, games e música. Trabalha com a palavra escrita e com fotografia. Já teve seus artigos publicados em veículos como o Kotaku Brasil e a Mundo Estranho Games. Formado em jornalismo (PUC-SP) e publicidade (ESPM).