A Qualquer Custo

0

Não é só porque uma história se passa nos dias de hoje, com automóveis e telefones celulares, que ela não possa ser considerada um faroeste. Estes ditos westerns modernos não saem na mesma quantidade que seu irmão mais tradicional, mas quando saem, costumam ser bem legais, como Onde os Fracos Não Têm Vez, dos irmãos Coen, só para ficar num exemplo.

A Qualquer Custo é mais um que se encaixa nessa definição, e ele também é bem legal. Ele conta a história dos irmãos Toby (Chris Pine) e Tanner (Ben Foster), que passam a assaltar juntos bancos pequenos de cidadezinhas do interior do Texas. Claro que logo eles chamam atenção da polícia, e seu caso fica aos cuidados de um veterano Texas Ranger prestes a se aposentar (Jeff Bridges).

Basicamente o filme é a onda de assaltos dos dois, com o policial tentando antecipar o próximo passo dos criminosos e assim capturá-los. Seria uma típica história de mocinhos contra bandidos, não fossem alguns pequenos detalhes cuidadosamente inseridos no roteiro.

A crise econômica estadunidense tem um papel muito importante como pano de fundo e até como paisagem para a história, visto todas as cidades quebradas economicamente por onde eles passam. E até mesmo o motivo pelo qual eles começam a assaltar e o grande plano deles tem a ver com isso e é algo pertinente para a atual situação.

Este é um daqueles filmes que desenvolve bem os personagens a ponto de você passar a simpatizar com quem está do lado errado da lei, bem como também com o personagem do Jeff Bridges, um caipirão das antigas que desconhece totalmente o significado do termo “politicamente correto”, visto todas as piadas que ele faz com seu parceiro, um mestiço de índio com mexicano, nos momentos mais divertidos da película.

A direção é estilosa já desde os minutos iniciais, usando bem das decadentes paisagens interioranas para situar a história. E mesmo nem sendo um filme tão violento assim, privilegiando muito mais a história, quando as balas voam, também rendem boas sequências.

No geral, A Qualquer Custo, apesar do título nacional genérico, está longe disso, contando uma boa história sobre o atual e difícil momento econômico, e mostrando que ela se encaixa muito bem num perfil de um faroeste com personagens que são arquétipos clássicos do gênero. E se você gosta deste gênero, seja com cavalos ou caminhonetes, vale muito a pena assistir.

REVER GERAL
Nota
Artigo anteriorDexed
Próximo artigoQuase 18
Formado em cinema (FAAP) e jornalismo (PUC-SP), também é escritor com um romance publicado (Espaços Desabitados, 2010) e muitos outros na gaveta esperando pela luz do dia. Além disso, trabalha com audiovisual. Adora filmes, HQs, livros e rock da vertente mais alternativa. Está no DELFOS desde 2005.