10 gringos que homenagearam brasileiros e vice-versa

0

Nelson Rodrigues já apontava um traço comportamental do brasileiro: o chamado complexo de vira-latas. A expressão, originada no âmbito de crônicas esportivas, ganhou um significado mais amplo ao designar a mania do brasileiro de denegrir a si próprio em comparação a outros países. Mania que pode ser percebida em vários campos, passando pela velha triforce do político, econômico e social.

Diante de tempos obscuros tanto na política quanto na economia, resolvi reunir uma lista de músicas – em ordem crescente de epicidade – para elevar a nossa autoestima e lembrar momentos em que o Brasil e artistas brasileiros foram homenageados por gringos e vice-versa: quando artistas nacionais não fizeram feio nos covers de estrangeiros.

10 – BJÖRK – TRAVESSIA (MILTON NASCIMENTO)

A islandesa, sempre lembrada pela excentricidade e bizarrice, é fã de música brasileira. Além de ter tocado MC Brinquedo (sério) enquanto discotecava em Nova Iorque, a cantora já se declarou fã de Milton Nascimento, Elis Regina (a música Isobel já foi apontada como uma homenagem à brasileira) e até mesmo do Sepultura. O amor pela música brasileira rendeu uma versão para o clássico Travessia de Milton Nascimento. A faixa faria parte da coletânea Red Hot + Rio de 1996, mas acabou ficando de fora.

9 – ELIS REGINA E MILTON NASCIMENTO – GOLDEN SLUMBERS/CARRY THAT WEIGHT/THE END (THE BEATLES)

Falando em Milton Nascimento e Elis Regina, há uma excelente versão dos dois interpretando a famosa trinca de encerramento do Abbey Road. A música foi originalmente gravada só por Elis para o disco Ela de 1971. Os vocais de Milton foram adicionados em 2009 tanto para compor a coletânea Beatles ´69 quanto uma espécie de homenagem póstuma a uma das nossas maiores intérpretes.

8 – ARCADE FIRE – AQUARELA DO BRASIL (ARY BARROSO)

O Arcade Fire é praticamente o Iron Maiden do indie rock no nível de demonstração de amor pelo Brasil. Na última vez que estiveram por aqui, os canadenses improvisaram clássicos da MPB como o Morro Não Tem Vez (Tom Jobim) e Nine Out of Ten (Caetano Veloso) durante jams e entre juras de amor ao Brasil: prometeram fazer um show vestindo a amarelinha caso a seleção brasileira ganhasse a Copa de 2014 (Obrigado, 7×1). Além disso, a banda usou cenas do filme Orfeu Negro (1969) para o lyric video de Afterlife, faixa do álbum Reflektor. A prova derradeira de que se trata de amor antigo é a versão de Aquarela do Brasil no primeiro álbum da banda, Funeral, de 2004.

7 – CIBELLE E DEVENDRA BANHART – LONDON, LONDON (CAETANO VELOSO)

O clássico de Caetano Veloso sobre a vida em Londres na década de 70 ganhou uma versão da cantora Cibelle em parceria com Devendra Banhart presente no álbum The Shine Of Dried Electric Leaves de 2006. O cantor é um entusiasta da psicodelia e a Tropicália é uma de suas maiores influências. Devendra – além de ser amigo do hermano Rodrigo Amarante – é o suposto autor da frase “Os Mutantes são melhores que os Beatles”.

6 – CAETANO VELOSO – COME AS YOU ARE (NIRVANA)

Caetano Veloso dispensa maiores apresentações. O defensor do correto uso da crase é um dos artistas brasileiros mais cultuados internacionalmente. Caetano gravou um cover de Come As You Are do Nirvana para o disco A Foreign Sound de 2004. A versão é capaz de induzir qualquer fã da banda pré-Foo-Fighters ao suicídio. Como não gosto dos grunges, me reservo o direito de curtir o som.

5 – OF MONTREAL – BAT MACUMBA (OS MUTANTES)

Rita Lee e os irmãos Sérgio Dias e Arnaldo Baptista formaram uma das bandas mais influentes da história do Rock Brasileiro. O Rock Psicodélico irreverente dos Mutantes angariou fãs ao redor do globo – alguns ilustres como Kurt Cobain, Sean Lennon, Devendra Banhart e David Byrne. O hino Bat Macumba ganhou uma versão dos americanos do Of Montreal para a coletânea Red Hot + Rio 2 de 2011.

4 – SEPULTURA – BLACK STEEL IN THE HOUR OF CHAOS (PUBLIC ENEMY)

O Sepultura é o representante-mor do metal nacional e coleciona diversos covers inusitados: Bob Marley, Titãs, Nação Zumbi, Devo, The Prodigy, Bauhaus e U2 são alguns dos nomes que ganharam releituras em formato thrash metal brazuca. Na gama dos covers inusitados destaca-se a versão de Black Steel In The Hour Of Chaos em parceria com o rapper Sabotage presente no EP Revolusongs de 2003. A canção é do Public Enemy – um dos grupos mais influentes do rap norte-americano.

3 – ANGRA – WUTHERING HEIGHTS (KATE BUSH)

Não sei se a Kate Bush é famosa no Brasil, mas lembro da cantora pela dança épica no clipe de Wuthering Heights Obrigado, Marcos Mion!) e por essa versão do Angra – que além de ser excelente – conta com uma performance incrível do Andre Matos: um dos grandes desafios da minha adolescência era convencer a minha mãe de que era um homem cantando! A versão está no disco Angels Cry de 1993.

2 – FRANK SINATRA – GAROTA DE IPANEMA (TOM JOBIM)

Garota de Ipanema é a música brasileira mais conhecida no mundo. Independente do status variante entre sofisticada e música de elevador, é uma das mais tocadas na história. Dentre as inúmeras versões por inúmeros artistas, fico com a do Frank Sinatra com o Tom Jobim: parte do registo Francis Albert Sinatra & Antonio Carlos Jobim de 1967.

1 – BRUCE SPRINGSTEEN – SOCIEDADE ALTERNATIVA (RAUL SEIXAS)

Em sua última passagem pelo Brasil, Bruce Springsteen zerou o “Toca Raul!” ao abrir os setlists da turnê brasileira de 2013 com Sociedade Alternativa do Raul Seixas. O Boss e sua E Street Band protagonizaram uma das maiores homenagens a uma das figuras mais peculiares da música brasileira.

FAIXAS BÔNUS:

Encerro a lista com duas faixas originais: Smoking Snakes do Sabaton e Caralho Voador do Faith No More. Smoking Snakes conta a história de três soldados da Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial. Os suecos prestaram homenagem aos soldados brasileiros que resistiram sozinhos a uma ofensiva alemã com direito ao refrão em português: Cobras Fumantes/Eterna é a sua vitória. Caralho Voador é a homenagem bizarra e sem sentido do Faith No More ao Brasil (em ritmo de Bossa Nova, é claro). Smoking Snakes está no disco Heroes de 2014 e Caralho Voador está em King For a Day Fool For a Lifetime de 1995.

00 – SABATON – SMOKING SNAKES

00 – FAITH NO MORE – CARALHO VOADOR