Samba

0

O filme Intocáveis de 2011 (não confundir com Os Intocáveis do Brian De Palma) foi uma daquelas comédias que conseguiu agradar a todos os tipos de público, incluindo aí muita gente que não costuma assistir a produções francesas. A história da amizade entre um ricaço tetraplégico e o jovem pobre contratado para cuidar dele conseguiu fazer de um tema pesado algo hilário.

Pois eis que a dupla de diretores e o ator Omar Sy (o Bishop de X-Men: Dias de um Futuro Esquecido) retomam a parceria neste Samba. E apesar do título, o delfonauta trüe pode ficar tranquilo que ele não tem nada a ver com o gênero musical. Trata-se do nome de um imigrante ilegal senegalês vivendo na França como pode. Até o dia em que ele é preso e conhece Alice (Charlotte Gainsbourg), funcionária do escritório de ajuda a imigrantes.

Dali nasce uma amizade, e talvez algo mais, e ambos passam a se ajudar com seus problemas, enquanto Samba continua tentando ganhar a vida sem chamar muita atenção das autoridades, até que consiga achar um jeito de ficar no país permanentemente.

Novamente, os realizadores se utilizam de um tema bem sério para fazer comédia, algo muito controverso aos europeus nos últimos tempos: o grande aumento do número de imigrantes, muitos deles ilegais. E não seria justamente essa uma das funções do humor? Chamar atenção e causar críticas e discussões, fazendo rir no processo? Acredito que sim.

O filme apenas pincela alguns detalhes importantes, sem explicar desnecessariamente muita coisa, como quando Samba tira a camisa, revelando um monte de cicatrizes, preferindo assim deixar que a condução narrativa fale por si própria.

O negócio é muito engraçado e você vai gargalhar inúmeras vezes, seja da ingenuidade das autoridades francesas ou mesmo do amigo brasileiro falsificado que Samba faz em determinado momento. Inclusive rola até Gilberto Gil e Jorge Ben na trilha sonora, junto de algumas palavras ditas no bom e velho português.

Fora isso, não há mais muito a ser dito. É o tipo de comédia que diverte e faz pensar, e é muito bem sucedida nessa abordagem. Fora isso, Omar Sy é extremamente carismático e novamente dá um show. Chega a ser ridículo ele participar de uma produção hollywoodiana como o já citado X-Men e entrar mudo e sair calado. É um verdadeiro desperdício.

Assim, quem assistiu Intocáveis e gostou, certamente vai querer ver este aqui também. E quem não viu, eu recomendo os dois filmes, ambos excelentes comédias que fogem do padrão besteirol da maioria dos filmes do gênero que costumam aportar nos nossos cinemas. E daí você pode até dizer todo orgulhoso que gosta de Samba, para assustar os seus amigos trues.

REVER GERAL
Nota
Artigo anteriorBatman: Arkham Knight
Próximo artigoCidades de Papel
Formado em cinema (FAAP) e jornalismo (PUC-SP), também é escritor com um romance publicado (Espaços Desabitados, 2010) e muitos outros na gaveta esperando pela luz do dia. Além disso, trabalha com audiovisual. Adora filmes, HQs, livros e rock da vertente mais alternativa. Está no DELFOS desde 2005.