Relacionamentos são mutáveis. Às vezes para melhor, às vezes para pior. Por Trás dos Seus Olhos é um representante do escopo negativo da coisa ao contar a história de um casal vivendo em Bangkok.

Gina (Blake Lively) e James (Jason Clarke) são o casal em questão. A moça é cega desde a infância e conta com a ajuda do solícito maridão para se virar. O sujeito, por sua vez, não esconde que gosta de se sentir necessário e essencial para a vida da esposa.

Eis que ela faz uma cirurgia e recupera a visão. O que seria motivo de alegria logo começa a mudar. Gina passa a redescobrir o mundo e a querer novas experiências que antes não podia ter. Sua personalidade muda e não só ela fica mais independente, como também mais irascível.

Já James começa a se sentir escanteado, e aí suas inseguranças começam a entrar em ação, achando que a esposa já não precisa mais dele. O filme desenvolve essa mudança na dinâmica do relacionamento deles como um drama com alguns pequenos toques de suspense em um momento ou outro.

Delfos, Por Trás dos Seus Olhos, Cartaz

Visualmente ele é bem bacana, procurando saídas imagéticas bem trabalhadas e diferentes para representar aquilo que, ironicamente, Gina não está vendo, bem como para traduzir as sensações dela ao mundo que não enxerga. Embora essas intervenções imagéticas diminuam quando ela volta a enxergar, ainda assim este é um dos pontos positivos.

A condução da história até é legal em partes, com tudo que falei mais acima se desenrolando de maneira gradual, às vezes até escapando do lugar comum. Contudo, ele não é muito bem resolvido sobre o que quer ser no fim das contas.

O desfecho dessa mesma história, no computo final, acaba sendo bastante sem graça e previsível, chegando lá de forma um tanto lenta. Em diversos momentos, ele poderia pegar um caminho para um suspense mais tenso, mas só ameaça e nunca o faz com vontade. Poderia ser uma mudança de gênero e ritmo que viria bem a calhar.

No geral, Por Trás de Seus Olhos até possui bons elementos em sua história, mas nunca a desenvolve plenamente a contento. Acaba se escorando mais no visual bem trabalhado e nas boas atuações da dupla de protagonistas. Poderia render muito mais, mas acabou como mais um filme nada. Se passar um dia na TV, assista por conta e risco. Para o cinema, não é indicável.