Festa da Salsicha

0

Festa da Salsicha é o novo filme estrelado pela turminha do Judd Apatow, ou do Seth Rogen, se preferir. A diferença é que, ao invés de ser em live action, é uma animação dublada pela galerinha que você já conhece bem de tantas comédias recentes.

A trama é a seguinte: os produtos de um supermercado são vivos e falantes. Seu grande objetivo de vida é ser escolhido pelos consumidores, os quais eles consideram deuses, e serem levados para o mundo exterior, onde acreditam que esses deuses cuidarão muito bem deles.

O grande objetivo da vida da salsicha Frank é ser escolhido juntamente com o pão de cachorro-quente Brenda e poder finalmente entrar nela, numa metáfora sexual nada sutil. Contudo, uma confusão se sucede, Frank, Brenda e alguns outros produtos alimentícios saem de seus pacotes e vão parar longe de suas respectivas prateleiras e, enquanto partem numa jornada para voltar aos seus lugares, Frank começa a questionar o que realmente ocorre quando eles são levados pelos deuses. A verdade, como você deve saber, é bem mais horrível do que eles imaginam.

Essa premissa de objetos ganhando vida e habitando um lugar depois que os humanos saem lembra muito Toy Story. Ainda que uma versão bastante sacana e bem boca suja. Esta definitivamente não é uma animação para crianças.

Quem conhece as comédias dessa galerinha sabe bem o que esperar, com um humor bastante politicamente incorreto, recheado de piadas sexuais e muitos palavrões, enquanto a turma de produtos alimentícios segue sua jornada pelo mercado, que faz as vezes de um mundo próprio, com diferentes nacionalidades. Há algumas boas piadas envolvendo um bagel judeu e algo que parece um pão sírio árabe.

A aventura em si é bacaninha, embora não seja nada que você já não tenha visto antes, de forma mais branda, em outras animações mais tradicionais. Mas ainda assim o ritmo é bom e a maioria das piadas funciona satisfatoriamente.

Só foi estranha a opção de exibir a versão dublada em português. Ora, o grande atrativo do filme é justamente ser um novo trabalho da patota do Seth Rogen. A adaptação da piadas e parte da dublagem foi feita pela turma do Porta dos Fundos, e eles fizeram um bom trabalho em passar as gagues e trocadilhos para a nossa língua, mas algumas coisas sempre se perdem.

Por exemplo, o grande vilão do filme é uma ducha higiênica. Quem manja de inglês sabe que douche, além de ser o já referido produto, é também utilizado como gíria para “imbecil”, “idiota”. Essa acaba sendo uma das coisas que se perde na tradução, e acredito que o longa funcione ainda melhor em sua língua original. Até porque, no final, também acontece um negócio que só faz sentido com a dublagem gringa.

Seja como for, Festa da Salsicha arranca sua dose de risadas e diverte satisfatoriamente enquanto dura. Não é o melhor trabalho dessa galerinha, você vai esquecer pouco depois que sair da sala de exibição, mas se você é fã das comédias deles, sabe bem o que vai encontrar e certamente não vai se decepcionar.