Eu gostava bastante da animação Os Jovens Titãs, que foi ao ar entre 2003 e 2006. Ela conseguia dosar bem um clima de camaradagem infantojuvenil com aventuras baseadas nas HQs do grupo, utilizando-se também em sua estética de elementos visuais típicos dos animes. E ainda tinha uma abertura com direito a música-tema bacana. Confere aí:

https://www.youtube.com/watch?v=iJ_SY-lKZgI

Já de Os Jovens Titãs em Ação!, que sucedeu a série em questão e está no ar desde 2013, vi apenas alguns poucos episódios e não é para mim. Claramente seu foco é num público muito mais novo do que sua antecessora e, ao menos os episódios a que assisti, sequer possuíam uma linha narrativa, sendo mais pequenas esquetes. O próprio traço muito mais simples e infantilizado já deixa claro que ele é para uma molecadinha mais… bem, jovem!

Delfos, Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas, CartazEnfim, se fosse para escolher qual versão ganharia um longa nos cinemas, sem dúvida optaria pela série do começo dos anos 2000, mas quem foi parar nas telonas foi mesmo Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas. E não é que deu certo? Ele é mais atraente para os adultos, diferente da série animada que o gerou. E não perde o apelo com a molecada menor.

Na trama, os Jovens Titãs estão cansados de serem tratados feito uma piada pela comunidade super-heróica da DC Comics. Eles querem ser considerados heróis de verdade e, sobretudo, querem ter seu próprio filme, algo que vira uma obsessão particular para o Robin.

Para atingir o objetivo de estrear na sétima arte, vão aprontar altas confusões e arrumar uma característica fundamental para todo herói que se preze (e que queira ir para o cinema): um arquiinimigo de respeito. No caso, o ardiloso Slade (Slaaaaaade!), que nos quadrinhos é mais conhecido pelo codinome de Exterminador.

BOOYAH!

O longa é bem bonitinho e colorido. E, sobretudo, bastante divertido. Tem um monte de piadas e easter eggs com praticamente todos os personagens do universo DC, desde os medalhões até os mais desconhecidos. E são essas piadas internas (incluindo seu universo cinematográfico) que geram os momentos mais engraçados da projeção. Bom ver que a DC ao menos não tem vergonha de rir de alguns de seus escorregões nos cinemas.

Delfos, Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas
Os heróis da DC se juntam para prestigiar o filme dos Jovens Titãs.

Também diverte com o humor ingênuo e bobinho dos cinco personagens principais e da dinâmica entre eles. Para quem gosta desse tipo de comédia, e para quem gosta do desenho da TV, não há grandes surpresas e certamente você se divertirá bastante com o filme.

Contudo, ele passa a sensação de que é um episódio esticado que foi mandado para o cinema. Não só por manter o mesmo estilo de traço simples da televisão, que se não compromete na telona, também não passa a sensação de ser algo mais caprichado (embora o visual dos principais heróis da editora tenha ficado fofinho nesse estilo).

Mas também porque, assim como a sua fonte, parece às vezes mais um amontoado de esquetes e gagues do que uma narrativa com começo, meio e fim. Fiquei com a impressão de que forçaram a barra para esticar um roteiro até dar o tempo de um longa-metragem, o que talvez explique a presença de tantos números musicais.

Delfos, Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas

Não chega a ser um problema porque o senso de humor dele acaba contagiando, mas fica a sensação de que ele caberia mais como uma daquelas animações da DC feitas direto para o mercado de home video (e muitas delas são ótimas) do que algo mais trabalhado para os cinemas.

Ainda assim, o resultado é bem bom e Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas é bastante divertido para quem conhece e curte o universo DC. E, principalmente, é uma boa porta de entrada para a criançada menor ter um primeiro contato com o universo da editora. Se você curte os personagens e tem um pequeno nerd em casa, pode levar a uma sessão que ambos vão gostar.