Fãs do universo de Harry Potter, e que gostaram da expansão da saga com Animais Fantásticos e Onde Habitam, é hora do regozijo. É chegado o mais novo capítulo da saga. E Os Crimes de Grindelwald mantém a qualidade apresentada no capítulo anterior.

Como disse na resenha de seu antecessor, eu não li os livros e só assisti aos dois primeiros filmes do bruxinho. Assim, com a visão de leigo, gostei do primeiro longa de Animais Fantásticos. Mas depois conversei com alguns fãs bem mais iniciados no universo mágico de J.K. Rowling que não ficaram plenamente satisfeitos com o que viram.

Como já disse no primeiro parágrafo, para mim, Os Crimes de Grindelwald está no mesmo nível do anterior. Logo, creio que isso já dá para te dar uma amostra do que esperar.

Delfos, Animais Fantásticos, Os Crimes de Grindelwald, CartazVOCÊ É UM FANTASMA?

Enfim, agora a ambientação passa de Nova Iorque para a Paris na virada dos anos 1920 para os 30. O poderoso mago Grindelwald escapa da custódia do Ministério da Magia e se prepara para angariar seguidores para sua causa. E, sobretudo, para trazer Credence (Ezra Miller) para seu lado. Credence é o único que ele considera poderoso o suficiente para derrotar seu maior inimigo, Alvo Dumbledore (Jude Law).

Grindelwald é uma espécie de Magneto do mundo da magia. Considera os bruxos superiores aos trouxas e, por isso, eles deveriam dominar. É um daqueles vilões que não está totalmente errado em seus objetivos, algo exemplificado por uma cena em que se utiliza do contexto histórico da humanidade.

Johnny Depp interpreta o vilão de maneira sóbria, sem os trejeitos e tiques exagerados e extravagantes pelos quais ficou conhecido em seus filmes mais recentes. Já Jude Law também retrata o jovem Dumbledore de maneira mais low profile, quando este ainda era apenas um professor em Hogwarts.

Delfos, Animais Fantásticos, Os Crimes de Grindelwald

E é ele quem incumbe Newt Scamander (eu já falei que adoro este nome?) com a missão de encontrar Credence antes do malvadão e trazê-lo para o lado da luz da Força, ou seja lá qual for seu equivalente no mundo da magia!

NEWT!

Uma coisa que me chamou atenção é que há sim uma mudança de tom entre as duas produções. O primeiro era uma aventura mais despretensiosa centrada de fato em Scamander e em sua coleção de animais fantásticos. Aqui, embora os simpáticos bichinhos ainda apareçam, sua presença e importância diminuiu consideravelmente.

Todo o longa funciona como um prenúncio para um vindouro confronto entre Grindelwald e seus asseclas e as forças do bem. Uma aventura heróica mais tradicional mesmo.

Delfos, Animais Fantásticos, Os Crimes de Grindelwald

Os efeitos especiais são de primeira e o longa é bastante movimentado e com muita ação. A ambientação em Paris o deixa ainda mais bonito visualmente e novamente o 3D tem destaque desde os primeiros segundos de projeção. Eu recomendo que você assista neste formato.

Também continua bem engraçado, com destaque para Jacob Kowalski, o amigo trouxa de Newt Scamander. Eu assistiria fácil uma sitcom protagonizada pela dupla. Apenas os dois dividindo um apê e conversando sobre mulheres com olhos de salamandra!

SCAMANDER!

Também há mais referências à saga de Harry Potter. Personagens, ambientações e por aí vai, o que deve fazer a alegria dos fãs mais hardcore. Contudo, como eu só vi o primeiro Animais Fantásticos na cabine e depois nunca mais reassisti, em diversos momentos demorava um pouco para me situar. Tipo, “quem era essa mina mesmo?” e coisas desse tipo. O longa não dá essas recapituladas, então é bom que você vá assisti-lo com o anterior fresco na memória, o que não deve ser um problema para os fãs.

Também tem um pouco de barriga. Em determinado momento rola um flashback que me pareceu totalmente gratuito e nada acrescentou. Mas não é algo que prejudica tanto assim o andamento da produção.

Delfos, Animais Fantásticos, Os Crimes de Grindelwald

Mas vale dizer que, embora não acabe de maneira aberta (ele amarra os principais pontos da trama), ele de fato assume uma natureza mais episódica, no sentido de que este é a preparação para algo maior a ser tratado no(s) próximo(s). Talvez não seja algo ideal para o espectador dotado de uma natureza mais ansiosa.

Desta forma, Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald é uma ótima aventura de fantasia, com potencial para durar anos a fio, algo bem claro pela trama que ele começa a desenrolar nesse capítulo. Continua com bastante potencial para agradar os mais leigos e acredito que, por explorar mais uma história nos moldes de sua matriz, pode ser mais interessante para a parcela já mais iniciada.