Zombi

0

ZombiU foi lançado junto com o Wii U como um exclusivo que parecia muito legal. No entanto, aqueles entre nós que não têm um console da Nintendo ficaram chupando o dedo. Felizmente, ele acaba de ser lançado para PS4, Xbox One e PC, possibilitando que mais gente possa jogá-lo.

DIFERENÇAS

Se você já jogou ZombiU e também tem um console de gente grande, deve estar curioso para saber se existem diferenças. Pois então, há sutis melhorias gráficas, mas nada que realmente faça muita diferença.

Os gráficos de Zombi denunciam suas raízes da geração passada e não vão impressionar ninguém. Inclusive, são mais fracos do que boa parte dos remasters lançados recentemente. Ainda assim, embora os personagens sejam bem feios, os cenários são até bastante detalhados e têm uma iluminação interessante.

Há também outras novidades. Além do cricket bat, que era a única arma do Wii U que não gasta munição, aqui temos uma pá e um bastão com pregos. Admito que eu não achei a pá, e o bastão com pregos não faz muita diferença em relação ao bastão padrão. A luz da lanterna também pode ser aumentada, possibilitando que você veja melhor os cenários escuros, mas gastando mais bateria. Isso é outra coisa que eu quase não usei, pois a luz padrão já era o suficiente na maior parte do tempo.

O Wii U também ficou com coisas que sumiram na transição, em especial o multiplayer e o fato de que o presunto dos jogadores poderia popar nos jogos de outras pessoas. Diferenças explicadas, vamos ao jogo.

LUTA PARA SOBREVIVER

Temos aqui um survival horror em primeira pessoa. A munição é limitada, por isso você vai matar os miolentos com o bastão na maior parte do tempo. O funcionamento do jogo lembra um Metroidvania, ou seja, é algo entre o linear e o mundo aberto.

Uma influência, no entanto, é bastante clara: Dark Souls. Muitas características dos jogos da From Software aparecem por aqui.

Um exemplo: quando você morre, acorda como outro sobrevivente e todos os seus itens ficam no presunto. Você deve voltar até lá para recuperar tudo. Se morrer no caminho, perde tudo para sempre, inclusive as armas. O mundo aberto que vai abrindo os caminhos de forma linear também lembra o clássico da From. Muita gente também falou da dificuldade, o que me deixou com um pouco de medo, mas um medo másculo e viril. Por causa disso, acabei jogando no chicken. Mas você sabe, como um frangote muito macho.

Talvez por causa disso, não tive muita dificuldade. Morri umas duas vezes ao longo da campanha, e considerei ambas injustas, pois tem um tipo de zumbi que explode quando você bate nele e te leva junto. Só que você aprende isso na marra, o jogo não te avisa. E na primeira explosão, eu fiquei sem saber porque tinha morrido. Só da segunda vez que comecei a achar que era um tipo de zumbi diferente, que deveria ser morto com armas de fogo. E daí não morri mais. Pelo menos até uma parte que vai ganhar um intertítulo só dela. Mas antes disso, um pouco de suspense.

Zombi também é menos radical do que Dark Souls, e sempre mostra no mapa para onde você deve ir, o que ajuda bastante, visto que o mundo do jogo é bem grande.

Eu gostei bastante do jogo e estava explorando seu mundo com bastante prazer, ainda que ele não tenha conseguido me causar medo. Como você mata os zumbis com um bastão, ele lembra bastante Dead Island. Mas daí veio o…

FINAL

Zombi perde muito do que o torna divertido nas suas últimas horas. A começar por uma arena deveras pentelha. Essa é a única parte realmente difícil do jogo, pois te coloca contra zumbis que só morrem com explosivos ou muitos tiros e dá explosivos e munição limitados. Sabendo disso, é também a única parte na qual o jogo cria um checkpoint automático.

Cada vez que você morre lá, acorda como um novo sobrevivente na mesma arena e tem que matar todo mundo de novo. Eu cheguei até aí com meu terceiro sobrevivente, e daí morri com mais de 10 caboclos tentando passar. Na própria história isso não faz sentido nenhum.

Seu guia te avisa que determinado objetivo deve ser uma armadilha. Mesmo assim você vai até lá. Ok, você foi e morreu, mas daí por que um outro sobrevivente iria até lá apesar de saber da armadilha?

Mas ignoremos isso. Afinal, ninguém compra Zombi pela história. Ao passar pela arena, achei que o jogo voltaria a ficar bom, mas ele estava só começando a piorar. Saindo dali, ele para de te mostrar objetivos. Eu voltei até a safehouse e fiquei sem saber para onde ir. Achei que o jogo tinha dado um glitch malvado e que não ia dar para continuar.

Daí me lembrei de uma missão que tinha recebido lá no início, de coletar cartinhas aleatórias. Achei que eram colecionáveis normais e fui coletando as que achava, mas sem me preocupar em dar uma de Pokemon e pegar todas. Pois depois da arena o jogo literalmente para até você pegar todas as cartinhas.

E mesmo depois que você tem todas, a coisa não melhora. Na reta final do jogo, você passa por lugares que já tinha visitado, só que agora o mapa não mostra os objetivos. Seu objetivo diz “vá para tal lugar”, mas você tem que lembrar como chegar lá de cabeça, pois o sistema de fast travel também é desativado. É uma sucessão de más ideias que esfriam muito um jogo que até então estava ótimo.

TRANSIÇÃO

Uma coisa que muitos se preocupavam quando este port foi anunciado é justamente o fato de que ele foi todo pensado para aproveitar bem as funções únicas do Wii U.

Bom, eu joguei apenas no Xbox One, mas ele está perfeitamente funcional. Um minimapa fica no canto da sua tela, o que eu imagino que deve ser melhor do que ter que olhar para o controle para olhar o mapa.

Uma coisa que eu imagino que pode ter tirado um pouco da graça é levantar o controle para fazer um “raio X” nos ambientes. Isso agora é feito segurando o LB, o que funciona bem, mas tira todo o fator novidade que eu imagino que o jogo tinha no Wii U.

ZUMBI

No final das contas, eu diria que, se você tem um Wii U, é melhor jogar ZombiU ali mesmo. As novas armas não acrescentam muito ao jogo e a ausência das funcionalidades do Wii U deixam o jogo menos único.

No entanto, se você está considerando pegar Zombi, provavelmente é porque não tem um Wii U. Neste caso, vai fundo. É um bom jogo e merece ser conhecido e jogado. O final é chatinho, mas tudo que vem antes é legal. Meu jogo durou 12 horas, sendo que cheguei na arena onde as coisas desandam lá pelas 10. Mas nas 10 primeiras horas eu me diverti bastante.

CURIOSIDADE:

– A Ubisoft já lançou outro jogo chamado Zombi antes. Foi em 1986 e foi seu primeiro lançamento. E sim, ele tem outras similaridades com seu primo mais jovem.

Galeria