Detona Ralph, você se lembra, era um filme divertido ambientado no mundo dos videogames. Prometia ser uma orgia de referências e easter eggs, mas em comparação com um Jogador No 1, por exemplo, fica comendo poeira.

Sua sequência, WiFi Ralph, praticamente deixa todo esse pano de fundo dos games eletrônicos de lado para ser uma aventura muito mais padrão das animações Disney, inclusive repetindo tudo que o anterior tinha, tanto de bom quanto de negativo.

Delfos, WiFi Ralph, CartazDessa vez, graças a uma rede wifi instalada no fliperama onde ficam as máquinas de Ralph e sua amiga Vanellope, eles conseguem entrar na internet. O objetivo é conseguir um novo volante para a máquina de Sugar Rush, para substituir o que foi quebrado, e assim evitar que o fliper de Vanellope seja desativado para sempre.

Claro, no gigantesco ambiente da rede mundial de computadores, a duplinha vai se meter em altas confusões. Confusões bastante semelhantes a Detona Ralph, apenas transferindo as piadas de coisas específicas a games para gagues envolvendo características da internet, como spams, pop-ups, vírus, vídeos que viralizam e por aí vai.

Reli minha antiga resenha de Detona Ralph antes de começar a escrever esta e praticamente tudo que disse ali, tanto de elogio quanto de crítica, se aplica de maneira igual aqui.

Sim, as piadas em sua maioria funcionam, muitas das sacadinhas do mundo da internet são bacanas e no geral ele é simpático, colorido e frenético tanto para crianças quanto para adultos.

Delfos, WiFi Ralph

WI É COISA DE MINEIRO

Contudo, aquele lance de ter várias aparições de personagens de games para você ficar caçando, a ideia de que ele poderia ser um Uma Cilada para Roger Rabbit do mundo dos games, o que ele já não foi no primeiro, aqui é totalmente deixada de lado. Visto que grande parte do filme se passa na internet, os games e seus vários personagens que agraciaram o anterior praticamente ficam de lado aqui.

Ele até tem uma sequência bacana com um bom tanto de aparições especiais e referências quando a dupla visita um site da Disney e é essa parte, sobretudo a interação de Vanellope com praticamente todas as princesas da casa do Mickey, que mais demonstram como o desenho poderia ser ainda mais incrível e especial se fosse mais focado nesse tipo de humor, ao invés de seguir, durante sua maior parte, por caminhos mais comuns de uma aventura mais genérica e, portanto, menos interessante.

Delfos, WiFi Ralph

Para piorar, ele é uma grande história sobre amizade e, portanto, você sabe o que isso significa. Vai ter uma lição a respeito da dita cuja no final, deixando tudo meloso e previsível.

Mesmo com todos esses fatores negativos, ele ainda é mais positivo. Como eu disse, a maioria das piadas funciona, ele tem boas sacadas e até a Vanellope, que foi algo que me irritou bastante no primeiro, funcionou bem melhor aqui, inclusive tendo até momentos bem melhores que o próprio Ralph.

A pena é que, assim como em seu antecessor, é nítido que havia potencial para muito, mas muito mais do que foi entregue. Poderia ser uma daquelas animações verdadeiramente especiais, mas se contentaram com o ordinário. E na própria comparação entre ambos, ainda acho o primeiro superior.

Delfos, WiFi Ralph

Mas enfim, se você se divertiu com Detona Ralph e consegue deixar um pouco de lado essa questão do potencial perdido, capaz de se divertir também com WiFi Ralph. Mas que poderia ser bem melhor, isso poderia.

CURIOSIDADES:

– Há uma cena durante os créditos finais, então não saia logo que o filme terminar.

– Dessa vez não teve um curta animado antes da atração principal. Ou ao menos ele não foi exibido na cabine.