Stephen King – A Biografia – Coração Assombrado

0

Você certamente conhece Stephen King. Mesmo que nunca tenha lido um de seus livros, deve conhecer algumas de suas histórias, seja no cinema ou na televisão. Afinal, ele é um dos autores mais adaptados para outras mídias.

O que talvez você não conheça é sua vida e como alguns de seus trabalhos mais famosos se originaram. Pois Stephen King – A Biografia – Coração Assombrado, biografia não oficial do escritor, de autoria de Lisa Rogak, chega justamente para cobrir essas lacunas.

E mostra que nada na carreira de King seguiu a maneira tradicional. Da pobreza na infância até o início da vida adulta, ele já era um leitor compulsivo e logo depois um escritor obcecado em escrever todos os dias, muito incentivado pela mãe e, posteriormente, pela esposa. Na época de vacas magras, se sustentava em empregos braçais e vendendo contos para revistas masculinas.

Contudo, a partir da publicação em 1974 de Carrie, seu primeiro romance, enriqueceu vertiginosamente, mesmo ainda não sendo um nome conhecido. O resto todo mundo sabe, o cara deslanchou, virando o escritor mais famoso e prolífico da literatura de terror.

O legal do livro, fora dar fatos interessantes de sua vida, é justamente mostrar como esses fatos, aliados à sua imaginação, funcionam como os conduítes criativos para suas histórias. Somos apresentados às origens de vários de seus livros mais famosos, que nasciam quando ele geralmente juntava duas coisas (“causos” que ele ouviu quando criança ou algo testemunhado no cotidiano) que aparentemente não tinham nenhuma relação, mas geravam uma trama interessante.

Para quem quer mais sobre sua vida, também está muito bem servido. O livro cobre desde o abandono pelo pai, que realmente usou a clássica desculpa de ir comprar cigarros para nunca mais voltar, passando por seu alcoolismo e vício em cocaína na década de 80, até o atropelamento que quase o matou em 1999. Mas como o próprio King diz em diversas citações colhidas pela autora, ele é só um cara normal, e sua vida não é tão interessante assim.

Por incrível que pareça, ao ler a biografia dá para acreditar nisso numa boa. Só o fato de ele continuar vivendo numa cidadezinha de 30.000 pessoas no meio do nada quando poderia ir para qualquer lugar badalado do mundo demonstra muito de sua personalidade simples, explorada em tantas outras passagens da obra.

Foi uma leitura extremamente rápida, daquelas que não dá vontade de parar de ler. E de fato eu o terminei antes do que esperava. Isso é potencializado principalmente se você conhecer os livros do cara, aí fica ainda mais divertido.

Contudo, achei a biografia bastante curta e até um tanto superficial. Não sei se pelo fato de, como o próprio King diz em diversas passagens, sua vida não ser tão interessante ou cheia de acontecimentos assim, ou se pela autora Lisa Rogak não ter ido tão a fundo nos assuntos quanto poderia, mas o fato é que fica a sensação de que poderia ter rendido mais algumas horas de boa leitura. Assuntos como seu atropelamento, por exemplo, são tratados em míseras duas ou três páginas.

Outras coisas que eu tinha curiosidade em saber, como por exemplo, qual foi a reação dos fãs ao desfecho de sua épica saga A Torre Negra, que levou 22 anos para ser concluída, sequer são tratadas.

Ainda assim, sua rotina de trabalho e suas ideias bastante particulares sobre modos de escrever e a literatura em geral estão muito bem cobertos e acabam sendo mesmo o assunto predominante da biografia.

Coração Assombrado não é uma biografia perfeita, mas seu pecado, no fim das contas, acaba sendo o melhor possível: o de deixar o leitor querendo mais. E neste caso, conseguiu até me deixar com vontade de voltar a ler livros do Stephen King, algo que eu não faço há alguns bons anos (a razão para isso você conhecerá na minha matéria sobre a série A Torre Negra a ser publicada futuramente no DELFOS). Para fãs do mestre de terror, é uma ótima leitura.

REVER GERAL
Nota
Artigo anteriorLinha de Frente
Próximo artigoCarrie – A Estranha
Formado em cinema (FAAP) e jornalismo (PUC-SP), também é escritor com um romance publicado (Espaços Desabitados, 2010) e muitos outros na gaveta esperando pela luz do dia. Além disso, trabalha com audiovisual. Adora filmes, HQs, livros e rock da vertente mais alternativa. Está no DELFOS desde 2005.