Zoolander 2

0

O primeiro Zoolander foi aquele filme pouco visto no cinema (ele teve o azar de estrear algumas semanas após o 11 de setembro), mas redescoberto no mercado de home video e na TV a cabo, transformando-o numa comédia cult. Lembro-me que assisti muitos anos atrás e gostei, mas nunca mais vi de novo.

Aliás, é curioso que eu tendo a gostar muito mais dos filmes onde Ben Stiller também assume a função de diretor do que daqueles onde ele apenas atua. Mas enfim, o fato é que chega agora aos nossos cinemas essa continuação tardia, com uma nova aventura do supermodelo burro feito uma porta Derek Zoolander.

Muitos anos após os eventos do longa original, Zoolander (Ben Stiller) está aposentado e recluso, mas logo terá de voltar à ação e às passarelas ao lado do chapa Hansel (Owen Wilson) para descobrir porque astros pop estão sendo assassinados e quem está por trás de tudo.

A história é uma grande bobagem sem qualquer sentido, servindo apenas como desculpa para colocar o personagem em novas gagues. Até aí isso não seria um problema se o filme fosse engraçado. Só que ele não é. Aliás, durante toda sua projeção não me saiu da cabeça Tudo por um Furo, a igualmente tardia continuação de O Âncora.

Afinal, em ambos os casos o original é divertidão, mas a sequência fica muito aquém de seu antecessor, sendo completamente desnecessária. Neste caso então, quinze anos se passaram e definitivamente ficou provado que o mundo não precisava de mais um Zoolander.

A esmagadora maioria das piadas não funciona, sendo do tipo “tá, eu entendi aonde ela quis chegar, e se tivesse acertado teria sido engraçado”, manja? Só que elas passam longe do objetivo e no máximo arrancam alguns sorrisos discretos.

Talvez a melhor coisa do filme seja a grande quantidade de participações especiais de gente famosa, de atores a músicos, todos interpretando eles próprios. Toda vez que um deles aparece em situações inusitadas, dá uma levantada no negócio. E sendo essa uma trama que se passa no mundo da moda, também há várias participações de estilistas famosos no meio.

Por causa desse pano de fundo da alta costura, além dos críticos de cinema de sempre, também compareceram à cabine jornalistas do mundo fashion e eles pareceram se divertir bastante com essas aparições específicas. Contudo, agora eu sei como deve ser para uma pessoa normal assistir a um filme cheio de referências nerds e não pescá-las. Não é muito legal…

Assim, se você é ligado nesse universo da moda, talvez você até consiga se divertir razoavelmente com Zoolander 2, mas a verdade é que o primeiro também tinha todas essas referências e conseguia ser bem engraçado também para os leigos. Este aqui falha neste quesito, sendo completamente dispensável e bastante inferior ao original. No fim das contas, Derek Zoolander deveria ter continuado longe dos holofotes.