Friends

0

Eles são um sexteto de amigos gente boa. Eles moram todos perto uns dos outros (alguns até moram juntos) e não se desgrudam para nada. Eles vivem enfurnados num café em Manhattan e ficaram dez anos no ar (e ainda estão por aí nas eternas reprises) como uma das melhores sitcoms de todos os tempos. Claro, me refiro a Friends, verdadeiro clássico da tevê estadunidense que ganha agora uma mais que merecida resenha delfiana graças aos anos de risadas oferecidas. Então vamos aos trabalhos.

A SÉRIE:

Pois bem, a não ser que você tenha passado as últimas duas décadas em Marte, já deve saber do que se trata essa comédia, mas como sempre tem um perdido por aí, vamos ao serviço: temos aqui as desventuras de seis amigos nova-iorquinos com problemas do cotidiano como trabalho, relações amorosas e… Bem, basicamente é isso.

Parece genérico, mas o seriado criado por David Crane e Marta Kauffman consegue lidar com essas banalidades com um humor afiado e abrangente, capaz de agradar o mais variado tipo de público, desde nerds até o espectador de televisão comum, que gosto de chamar de pessoas genéricas, se preferir. Até mesmo gente não acostumada com o formato e a linguagem das comédias de situação se diverte plenamente com o programa. Talvez por ser um tipo de humor universal, com o qual qualquer um pode se identificar em algum momento. Afinal, quem nunca teve problemas no trabalho ou para se declarar para alguém?

Além disso, o programa conta com muitas expressões e situações que já entraram no imaginário da cultura Pop, como a tradicional cantada de Joey (how you doin’? e admita, você já tentou usá-la ao menos uma vez) ou aquele gesto de bater uma mão fechada na outra que significa o mesmo que mostrar o dedo (isso era um hit absoluto na minha época de colegial).

Com um texto ágil, uma grande quantidade de boas piadas por minuto e um elenco talentoso que parece ter sido escolhido a dedo, a qualidade da série foi absoluta em suas primeiras quatro ou cinco temporadas, onde era simplesmente imbatível (apenas Seinfeld concorria de igual para igual, embora sua pegada fosse diferente).

No entanto, a partir da sexta temporada a qualidade começa a cair. O troca-troca entre os personagens (dos seis, só Monica e Ross não se pegaram e isso porque eram irmãos) vira um absurdo e as risadas diminuem consideravelmente até um final careta e melancólico que ia contra a proposta da série de mostrar as vidas de pessoas de vinte e poucos anos que estão começando a se virar em sua vida adulta.

O problema da série foi justamente o tempo. Dado o enorme sucesso, os produtores a esticaram até onde não dava mais, e quando chegou ao fim, todos os personagens já eram trintões, responsáveis e acomodados. Ou seja, o oposto de sua temática inicial. Porém, mesmo a decadência das últimas temporadas não apaga seus méritos iniciais.

Aliás, outro mérito foi criar personagens extremamente cativantes usando nada mais que estereótipos puros e fazendo essa fórmula já desgastada funcionar muito bem a seu favor. Então nada melhor que aproveitar a deixa para apresentar os personagens e seus arquétipos.

OS PERSONAGENS E SEUS ESTEREÓTIPOS:

– Ross Geller, o galã loser (David Schwimmer): Ross a princípio é o protagonista da série junto com Rachel, já que o “vai não vai” entre eles é o principal mote do programa em suas primeiras temporadas (depois isso perde a graça, a fonte seca e o foco muda para Monica e Chandler). Irmão mais velho de Monica, é aquele cara legal, mas meio azarado, que nunca consegue se declarar pra mulher que ama. Paleontólogo, adora falar sobre dinossauros, para desespero de seus amigos que não suportam seus papos científicos.

– Joey Tribbiani, o pegador burro (Matt LeBlanc): Colega de apartamento de Chandler e vizinho de Monica e Rachel, é um ator de quinta categoria (o episódio onde ele dá aulas de atuação e explica suas peculiares técnicas de interpretação é um dos mais engraçados de todos), que usa sua pinta de galã para passar o rodo na mulherada com sua cantada-bordão do how you doin’. É burro feito uma porta, o que gera momentos hilários e graças à excelente construção do personagem por Matt LeBlanc, burilada ao longo dos anos, Joey carrega a série inteira nas costas nas últimas (e fracas) temporadas, como o único personagem ainda capaz de arrancar gargalhadas. Não foi à toa que após o fim de Friends ganhou seu próprio spin off (que não durou muito, mas era legalzinho), chamado apenas Joey.

– Chandler Bing, o engraçadinho (Matthew Perry): Chandler é o cara que não leva nada a sério, faz piada de tudo e todos e é extremamente sarcástico. Tanto que seus amigos já nem ligam para as coisas que ele fala. Era o melhor personagem da série no início por suas tiradas rápidas e inteligentes. Seu emprego é um dos grandes mistérios da série (embora lá pelo fim seja revelado exatamente o que ele faz). Azarado com as mulheres, lá na metade da série engata um romance com Monica e os dois acabam se casando. Consequentemente, ele perde toda a graça.

– Rachel Green, a mocinha clássica (Jennifer Aniston): Rachel é a menina mimada que larga o noivo no altar, vai morar na cidade com sua amiga de infância Monica, e começa a aprender a ser uma mulher independente virando garçonete do Central Perk, o café que é o ponto de encontro da turma. No começo não percebe que Ross está interessado nela, mas quando descobre se apaixona por ele também. No entanto, sua ascensão profissional acaba se tornando um dos principais motivos que os separaram. Mesmo assim, anos depois tem uma filha com ele.

– Monica Geller, a neurótica (Courteney Cox): Chef de cozinha mandona, altamente competitiva e com mania de limpeza, o apartamento de Monica é o ponto de encontro preferido da turma depois do Central Perk e ela gosta de recebê-los. Foi obesa na adolescência (por sinal, todos os episódios de flashback são hilários) o que explica um pouco da sua personalidade. Azarada nos namoros (hum, começo a detectar um padrão), acaba descobrindo que o que procurava estava logo do outro lado do corredor na figura de Chandler. Eles se casam e ela passa a tentar realizar seu antigo sonho de ser mãe.

– Phoebe Buffay, a maluquinha excêntrica (Lisa Kudrow): Phoebe foi a primeira a dividir o apartamento com Monica, mas não aguentou suas neuroses e regrinhas bestas e foi morar com a avó, embora tenha mantido a amizade. Massagista, tem uma história de vida bizarra (seu pai abandonou a família, sua mãe se matou, ela chegou a ser sem-teto e os roteiristas conseguem deixar tudo isso engraçado), uma irmã gêmea que odeia e adora cantar e tocar violão (muito mal) no Central Perk. Tem até um hit, a famosa Smelly Cat ou Gatinho Fedido, se preferir. Mas a culpa não é dele.

Agora que já demos uma geral nos personagens, vamos a uma rápida passada por todas as dez temporadas, que totalizaram 238 episódios e incontáveis horas de diversão. Mas vale o aviso, cuidado com spoilers!

AS TEMPORADAS:

1ª temporada: A série começa com Rachel largando o noivo no altar e encontrando Monica por acaso no Central Perk. Monica a convida para morar com ela e Rachel começa a trabalhar de garçonete no café. Ross, que acaba de se divorciar (sua mulher descobriu ser lésbica logo depois de engravidar dele), reacende sua paixão da adolescência por Rachel e a primeira temporada inteira é ele tentando se declarar e sempre encontrando um empecilho pela frente.

2ª temporada: Depois de uma rápida inversão de papéis (Rachel descobre que Ross gosta dela e se apaixona por ele, mas ele volta de uma viagem com uma nova namorada), o casal finalmente fica junto. Joey experimenta o maior sucesso profissional de sua carreira ao interpretar o neurocirurgião Dr. Drake Ramoray na novela Days of Our Lives (que realmente existe), e até vai morar sozinho, o que rende uma sequência de episódios antológica, especialmente quando Chandler arruma um novo amigo para dividir o apê e o sujeito acaba se revelando completamente maluco. Monica engata um namoro sério com Richard (Tom Selleck, o Magnum, uma das melhores participações especiais da série), amigo de seu pai e muito mais velho que ela.

3ª temporada: Phoebe resolve tentar localizar seu pai, mas acaba encontrando um meio irmão tão esquisito quanto ela (Giovanni Ribisi, que faz papel de retardado como ninguém). Rachel finalmente engata uma carreira promissora no ramo da moda, mas o ciúme doentio de Ross por causa de um colega de trabalho dela azeda a relação. Ele termina de estragar tudo quando dorme com a garota do xerox quando eles estavam dando um tempo (we were on a break!). Monica namora um ricaço dos softwares que por acaso viria a ser o diretor de Homem de Ferro.

4ª temporada: Com o namoro acabado em definitivo, Ross e Rachel tentam seguir em frente com suas vidas amorosas e manter a amizade entre eles. Chandler, em outra das minhas sequências favoritas de episódios, se apaixona pela namorada de Joey e acaba traindo seu melhor amigo, que fica possesso com ele, mas acaba perdoando-o depois de deixá-lo preso dentro de uma caixa! Phoebe aceita ser barriga de aluguel para seu meio irmão e sua esposa. Ross se apaixona por uma inglesa, e mesmo sendo cedo demais, decide se casar. Rachel descobre que ainda o ama e lhe diz isso no dia do casamento. Como resultado, ele diz o nome dela no altar. Essa temporada tem aquele que eu considero como o melhor episódio da série, The One With the Embryos (Aquele com os Embriões), onde rola uma competição mediada por Ross para saber se Joey e Chandler sabem mais da vida de Monica e Rachel ou o contrário e no final eles acabam trocando de apartamento. Por conta de tudo isso, diria também que essa temporada é o auge criativo e cômico do programa.

5ª temporada: Ross passa por seu pior período após seu segundo casamento terminar antes mesmo de começar. Perde emprego, casa e noção e começa a surtar, o que gera mais alguns ótimos episódios, como o da calça de couro. Enquanto isso, Monica e Chandler começam a namorar escondido, mas surpreendentemente Joey é o primeiro a descobrir. Joey vai fazer um filme independente em Las Vegas e todos decidem viajar até lá para lhe dar uma força. Monica e Chandler decidem se casar por impulso, mas desistem ao ver que Rachel e Ross se casam primeiro, totalmente bêbados.

6ª temporada: Para não ficar estigmatizado como o sujeito divorciado três vezes antes dos 30 anos, Ross diz a Rachel que vai pedir a anulação do casamento em Las Vegas, mas não o faz, o que obviamente não dá em coisa boa. Chandler vai morar com Monica. Rachel vai primeiro para a casa de Phoebe e depois para a de Joey, onde se descobrem colegas de apê perfeitos. Chandler pede Monica em casamento. E a partir daqui a série rola ladeira abaixo.

7ª temporada: A temporada inteira gira em torno dos preparativos para o casamento de Monica e Chandler, que só acontece em seu final. Fora isso, não rola nada de muito significativo que mereça uma menção por aqui, o que demonstra a estafa criativa do programa a essa altura do campeonato. Pra completar esse argumento, a série começa a ganhar uma série constante de episódios de retrospectiva, conhecida como o recurso máximo da falta de criatividade. Um ainda vai lá, mas Friends possui alguns, o que nunca é bom sinal.

8ª temporada: Rachel revela que está grávida e Ross é o pai. Joey se apaixona por Rachel e fica sem saber o que fazer. Depois de abrir o jogo com Ross e ganhar sua bênção, ele se declara e leva um denied num episódio particularmente deprê (eu já falei que gosto do Joey?). O bebê da Rachel nasce e Joey acidentalmente a pede em casamento. E ela aceita.

9ª temporada: A situação da proposta acidental é esclarecida. Phoebe começa a namorar Mike (Paul Rudd), seu primeiro relacionamento sério. Chandler pede demissão de seu emprego misterioso e decide mudar de área, indo para a publicidade, onde começa de baixo voltando a ser estagiário. Ele e Monica decidem ter um filho, mas encontram problemas para conceber. Rachel se apaixona por Joey, mas ele já está com outra. Ross vai dar uma palestra numa conferência de paleontologia em Barbados e todos o acompanham. Joey descobre que Rachel o ama, mas não quer fazer nada antes de falar novamente com Ross. Ao descobrir que este não lhe estendeu a mesma cortesia, vai até o quarto de Rachel ficar com ela.

10ª temporada: Joey e Rachel engatam um namorico que não dá muito certo, então optam por permanecerem apenas amigos. Chandler e Monica decidem adotar um bebê e se mudar para uma casa no subúrbio, o que deixa Joey deprimido, já que ele não gosta de mudanças. Phoebe e Mike se casam. Rachel ganha uma promoção e uma transferência para Paris. Ross concorda que ela vá e leve a filha deles, mas fica arrasado. O filho adotivo de Chandler e Monica nasce. Ross se declara para Rachel e eles finalmente voltam a ficar juntos. O apartamento de Monica é esvaziado e cada um deixa sua chave no balcão. E nesse clima de novela a série acaba por baixo, mas ainda com um ou outro bom momento.

CURIOSIDADES:

– A música-tema da série se chama I’ll Be There for You e é tocada pelos The Rembrandts.

– Já Smelly Cat ganhou uma cover dos Pretenders. Chrissie Hynde, a vocalista, participou de um episódio onde interpreta uma musicista que rouba a vaga de Phoebe como atração do Central Perk.

– Por falar em participações, Friends talvez perca apenas para Os Simpsons no número de astros convidados. Mas, das séries live action, sem dúvida é a campeã. Sente só alguns exemplos de atores famosos que deram as caras na série: Charlie Sheen, Jean-Claude Van Damme, Julia Roberts, Robin Williams, Billy Crystal, Kathleen Turner, Reese Witherspoon, Brad Pitt, Sean Penn, Bruce Willis… A lista ainda vai longe.

– Ursula, a gêmea malvada de Phoebe, é uma personagem recorrente da série Mad About You/Louco por Você. Houve até um pequeno crossover em Friends quando Jamie Buchman e Fran (personagens dessa série) entram no Central Perk, veem Phoebe e a confundem com Ursula.

– O primeiro e o último episódio são os únicos que não começam com The One (Aquele) no título. São, respectivamente, The Pilot (O Piloto) e The Last One O Último).

– James Michael Tyler, o Gunther, realmente trabalhava em um café quando ganhou o papel na série e continuou trabalhando lá durante as primeiras temporadas.

– Lisa Kudrow tinha pavor do pato de estimação de Joey e Chandler.

– O big white dog (aquela estátua branca do cachorro) era da atriz Jennifer Aniston. Ela ganhou de presente de boa sorte da sua melhor amiga logo que começou a atuar e o emprestou à produção para o episódio onde Joey vai morar sozinho e monta uma decoração cheia de bichos de cerâmica em seu novo apartamento. Depois os produtores decidiram mantê-lo pelo resto da série.

– David Schwimmer dirigiu 10 episódios de Friends e mais dois do spin off Joey.

– Courteney Cox é na verdade mais velha que David Schwimmer, mas na série interpreta sua irmã caçula.

Pronto, agora você já sabe tudo que há para saber sobre Friends, uma das séries favoritas aqui da casa. Tomara que tenha gostado de relembrá-la e, se não a conhece, que ao menos esse texto tenha feito você ficar com vontade de assisti-la. Então, se você tem TV a cabo, é só sintonizar na Warner e pegar uma das reprises que passam a toda hora. E divirta-se!

Galeria