Jovem pobre e que curte rap usa a música como escape para a vida difícil e como sonho para alcançar uma condição melhor. Você não estaria enganado se dissesse que esta é a sinopse de 8 Mile: Rua das Ilusões (2002). Mas também é exatamente a mesma sinopse de Patti Cake$ (assim, com um cifrão mesmo).

Na verdade os dois filmes são tão parecidos estruturalmente e em enredo que, se o DELFOS já existisse quando o filme do Eminem foi lançado, eu poderia deixar aqui um link para a resenha dele e meu trabalho estaria terminado. Mas não somos tão velhos assim, então terei de desenvolver mais alguns parágrafos.

Sai o Marshall Mathers, entra uma mulher no lugar, a Patti do título. Ela mora em Nova Jérsei, está na pindaíba, é zoada por todo mundo por ser gorda e sua única alegria é o rap, que não só ela gosta de ouvir, como também possui talento para criar suas próprias rimas.

Logo ela vai formar um grupo com um amigo, sua avó (sério!) e um DJ tão talentoso quanto esquisitão e eles tentarão seguir o caminho de tantos artistas independentes, batalhando por um lugar ao sol e uma oportunidade para serem descobertos.

A grande diferença deste filme para 8 Mile, fora a mudança de sexo do protagonista, é o fato de que o filme do Eminem focava-se naquelas batalhas de rimas, onde um rapper basicamente trollava o outro com rimas improvisadas, uma coisa de rua mesmo, muitas vezes sem nenhuma base musical de acompanhamento. Esse aqui até tem uma cena dessas, mas ele é muito mais musical que seu parente distante.

Delfos, Patti Cake$, Cartaz

No sentido de que há músicas completas com bases e produção. A maioria dos raps que o grupo de Patti cria são inclusive bem legais. Nesse sentido de trilha sonora, acredito que quem gosta do estilo ficará muito satisfeito.

Também é legal que o filme costuma traduzir em imagens os sonhos de Patti, que geralmente giram em ser uma rapper famosa e assinar com um grande produtor local. Elas apresentam toda aquela estética da ostentação do rap e dá uma graça visual a mais para o longa.

De resto, ele é bem clichêzão desse tipo de história, e não é difícil adivinhar a sequência de acontecimentos. E claro, se você assistiu 8 Mile, a coisa fica ainda pior. Visto que esse acaba virando praticamente um remake indie da já tão referida película.

Ele pode não ganhar nenhum prêmio por originalidade, da qual, sejamos francos, não possui nenhuma. Mas ainda assim ele funciona direitinho. A parte musical é bacana e os personagens são bons o bastante para compensar o roteiro batido. Se você gosta de rap e longas centrados em música, vale dar uma conferida.

REVER GERAL
Nota
PONTUAÇÃO GERAL

Vire assinante do Delfos!

Temos planos a partir de R$1,00 mensal e você pode ganhar um monte de coisa legal. Mais importante, você ajuda a gente a tornar o DELFOS cada vez maior e melhor.


Clique aqui e acesso a nossa ágina no Padrim


Se você gosta do nosso conteúdo, também pode ajudar sem colocar a mão no bolso compartilhando este post nas suas redes sociais através dos botões abaixo.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAssassinato no Expresso do Oriente: uma nova versão para um velho mistério
Próximo artigoThe Mummy Demastered não tem quase nada a ver com o filme
Carlos Cyrino
Formado em cinema (FAAP) e jornalismo (PUC-SP), também é escritor com um romance publicado (Espaços Desabitados, 2010) e muitos outros na gaveta esperando pela luz do dia. Além disso, trabalha com audiovisual. Adora filmes, HQs, livros e rock da vertente mais alternativa. Está no DELFOS desde 2005.