Assine a feed desta seção!
Assine os comentários do site
Siga o Delfos no Twitter!

Título original: Nieve Negra
País de origem: Argentina/Espanha
Ano: 2017
Gênero: Drama
Duração: 90 minutos
Distribuidora: Paris Filmes
Direção: Martin Hodara
Roteiro: Leonel D'Agostino e Martin Hodara
Elenco: Leonardo Sbaraglia, Ricardo Darín, Laia Costa e Dolores Fonzi.
Nota:



Neve Negra

Publicado em 7/6/2017 às 00:01

Texto por Carlos Cyrino

Famílias já são complicadas por natureza. Famílias que têm seu passado envolvendo tragédias, segredos e mentiras, então, nem se fala. E este é o tema de Neve Negra, mais um bom exemplar do cinema argentino (este em coprodução com a Espanha) a chegar às nossas telas.

Marcos (Leonardo Sbaraglia) vai com sua mulher Laura (Laia Costa) até a Patagônia com dois objetivos em mente. O primeiro, enterrar as cinzas do pai, que acaba de morrer. O segundo, convencer seu irmão Salvador (Ricardo Darín), um recluso de temperamento difícil, a vender por uma fortuna as terras que eles herdaram.

Salvador, que possui um passado trágico tendo sido culpado de uma desgraça familiar, não parece muito interessado nisso, o que faz voltar à tona velhos ressentimentos. Ao mesmo tempo, vemos através de flashbacks o que aconteceu tantos anos antes.

Apesar de até poder ser considerado um suspense, ele está muito mais para um drama, visto que grande parte de sua duração é gasta com o desenvolvimento da história da família fraturada. Ele passa uma sensação de desconforto conforme os pedaços da história pregressa vão se juntando, mas não é algo feito para te deixar agarrando os braços da poltrona.

Assim, sob a ótica de um pesado drama familiar, ele funciona melhor. Ajuda muito a ambientação gelada e isolada da Patagônia, e também a formas simples e eficiente de como os flashbacks são integrados à trama principal, o que nunca faz com que o interesse na história se perca.

Contudo, é preciso dizer que o filme é um pouco desconjuntado, sobretudo no terceiro ato, quando acontecem grandes reviravoltas e revelações. O problema é que é muita coisa para pouco tempo de filme, o que deixa este final deveras corrido em comparação aos dois atos anteriores.

Fora que uma grande revelação, quando acontece, acaba deixando as atitudes anteriores dos personagens envolvidos, no mínimo estranhas, para não dizer sem sentido. Não dá para dizer o que é, pois é um grande spoiler, mas embora não possa ser considerado algo inverossímil, acaba prejudicando o desenvolvimento prévio dos personagens.

Claro, como disse lá no começo, família é algo complicado, e nem sempre suas atitudes têm o sentido mais claro, mas mesmo levando isso em conta é algo que acabou me incomodando e deu uma prejudicada na condução geral da trama, em minha humilde opinião.

Ainda assim, Neve Negra é muito mais positivo que negativo e, se não é dos melhores exemplares vindos da Argentina, também não faz feio. Para quem gosta de uma história mais densa e pesada, vale uma assistida.

Leia mais sobre Drama, Argentina, Ricardo Darín, Martin Hodara, Paris Filmes.




 

28/6/2017 - Meu Malvado Favorito 3
22/6/2017 - O Círculo parece uma versão para cinema de Watch Dogs
21/6/2017 - Bruxarias
21/6/2017 - Meus 15 Anos
20/6/2017 - Ao Cair da Noite mistura Walking Dead com The Last of Us
15/6/2017 - Baywatch: S.O.S. Malibu
14/6/2017 - Tudo e Todas as Coisas
14/6/2017 - Colossal
13/6/2017 - Sepultura Endurance
9/6/2017 - A Múmia é um excelente começo para o Dark Universe
7/6/2017 - Neve Negra
1/6/2017 - Inseparáveis
31/5/2017 - Mulher-Maravilha
30/5/2017 - Z - A Cidade Perdida não tem nada a ver com zumbis!
24/5/2017 - Punhos de Sangue conta a história do Rocky de verdade
18/5/2017 - Um Homem de Família
18/5/2017 - O Rastro
17/5/2017 - Rei Arthur: A Lenda da Espada
16/5/2017 - Corra!
11/5/2017 - Uma Dama de Óculos Escuros com uma Arma no Carro
1234567... 78


· Busca Avançada

Login
Senha
Lembrar de mim:
Ainda não é cadastrado?
Então clica aqui!









Copyright © Delfos 2004 - .