Conheça um fanfilm brasileiro do Batman

"Morcego na área!"

0
Delfos, Um Conto de Batman: Na Psicose do Ventríloquo

Sendo um dos personagens mais famosos da cultura pop, o Batman já teve sua cota de filmes não oficiais produzidos por fãs, os chamados fanfilms. Nós mesmos já falamos sobre um dos mais famosos deles nos primórdios do DELFOS, Batman: Dead End.

Eis que chegou aqui na redação um email de divulgação interessante, atentando para a existência de um fanfilm brasileiro sobre o Homem-Morcego. Não bastasse esse fato, que já chama a atenção por si só, ele também é tido como o primeiro fanfilm do personagem no formato longa-metragem.
Delfos, Um Conto de Batman: Na Psicose do Ventríloquo, Cartaz

Com 88 minutos de duração, Um Conto de Batman: Na Psicose do Ventríloquo é falado em português e conta uma história de cunho psicológico e social, focando bastante não só no lado mental do próprio Homem-Morcego, como, conforme já entrega o título, numa exploração sobre a psique perturbada de um de seus vilões mais peculiares, o Ventríloquo.

Arnold Wesker é um velhinho que carrega a tiracolo um boneco de ventríloquo chamado Scarface. O boneco é a personalidade dominante e se torna um chefão do crime, tendo Wesker apenas como um capacho que lhe dá voz.

Dirigido pelo cineasta paulistano Elvis delBagno, e lançado no final de 2014, o longa já percorreu diversos festivais de cinema independente mundo afora, tendo angariado alguns prêmios.

Como todo fanfilm, ele tem seus pontos fortes e fracos (a roupa do Batman, por exemplo, não ficou muito bonita). Mas merecem destaque a fotografia caprichada e a escolha narrativa por desenvolver mais o lado psicológico da história do que partir para a ação propriamente dita.

E claro, todo trabalho feito por pura dedicação e amor à arte e ao personagem retratado já é algo louvável por si só. Quem quiser conferir Um Conto de Batman: Na Psicose do Ventríloquo, é só clicar no player abaixo:

Vire assinante do Delfos!

Temos planos a partir de R$1,00 mensal e você pode ganhar um monte de coisa legal. Mais importante, você ajuda a gente a tornar o DELFOS cada vez maior e melhor.


Clique aqui e acesso a nossa ágina no Padrim


Se você gosta do nosso conteúdo, também pode ajudar sem colocar a mão no bolso compartilhando este post nas suas redes sociais através dos botões abaixo.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorRoda Gigante: o Woody Allen de 2017
Próximo artigoAER: Memories of Old é uma graciosa peregrinação
Carlos Cyrino
Formado em cinema (FAAP) e jornalismo (PUC-SP), também é escritor com um romance publicado (Espaços Desabitados, 2010) e muitos outros na gaveta esperando pela luz do dia. Além disso, trabalha com audiovisual. Adora filmes, HQs, livros e rock da vertente mais alternativa. Está no DELFOS desde 2005.