Carros é, para mim, um ponto de ruptura na Pixar. Antes do primeiro filme, eles tinham uma moral absurda comigo, e eu esperava ansiosamente por cada lançamento do estúdio. Carros iniciou um período de decadência e, dos filmes dessa leva, foi o único que virou uma série.

Curiosamente, Carros 2, a continuação, mudou de gênero e me surpreendeu bastante, combinando muito bem filmes de espião com comédia. Carros 3, o assunto de hoje, retorna às origens e é basicamente uma história de corridas. Mas se trata de um lançamento da Pixar, então você já sabe, antes dele tem um aperitivo.

LOU

Lou é um curta estranho. Ele segue a fórmula tradicional do estúdio de ser praticamente mudo e bem old-school, mas o personagem titular é bastante estranho, sendo uma entidade formada de coisas perdidas. Ele é bonitinho, mas é estranho. Tipo eu quando era nenê.

Lou - Carros 3
O Lou é o de baixo.

No curta conhecemos um molequinho arteiro, que gosta de roubar os brinquedos das outras crianças nos recreios. Ele vai aprender uma lição de vida ao cruzar com Lou. E, como é comum em tudo que a Pixar faz, esta lição vai exalar fofura por todos os poros.

É um filminho bem simpático. Não é especialmente marcante, mas é bem divertido e, particularmente, eu gosto muito de animações sem diálogos. Elas trazem um gostinho de infância.

CARROS 3

Carros 3Após o aperitivo, vem o prato principal. A história de Carros 3 começa com Relâmpago McQueen fazendo miséria nas corridas. Ele está mandando muito bem e tem uma relação competitiva, porém amigável, com todos os outros corredores.

A alegria não dura muito, pois logo chega uma nova geração de corredores, mais modernos, mais velozes, mais furiosos. Eles são mais jovens e começam a dar uma canseira na geração do carrinho vermelho. Seus colegas começam a se aposentar ou, mais triste ainda, a perder o emprego.

O próprio McQueen acaba se esforçando demais e sofrendo um acidente, exigindo que ele deixe o ofício até se recuperar. Só que ele quer voltar com tudo, e para isso vai ter que treinar como nunca, e da forma que os jovens treinam, com simuladores e realidade virtual. Será que ele estará páreo para o desafio?

MCQUEEN, UM LUTADOR

Esta toada de nova geração me lembrou bastante alguns dos Rocky, em especial o terceiro, o quinto e o Rocky Balboa. Você sabe, o Stallonão vem lidando com as dores da aposentadoria faz algumas décadas, né?

Pois assim como o primeiro Carros segue totalmente o que você espera de um filme sobre um jovem com um sonho, este aqui também é bem parecido com os Rockys. Me pareceu cedo para McQueen estar ultrapassado, mas ei, já se vão 11 anos desde o primeiro filme. Muitas coisas ficam ultrapassadas em todo esse tempo.

Os personagens clássicos retornam, mas também há novos amigos. A que mais se destaca é a treinadora de McQueen, uma simpática e empolgada carrinha (tá certo isso?), que trata o nosso herói como se fosse um velho enferrujado. Afinal, ela cresceu assistindo as corridas dele.

Carros 3
Volta aqui!

Aliás, isso me faz pensar… será que tem gente por aí que cresceu com o DELFOS? Afinal, estamos no ar desde 2004. É bastante tempo. Deixe um comentário se este é seu caso e você vai levar para casa um high five telepático com muito carinho. E se você lê a gente há tanto tempo, sem dúvida merece um agradecimento pessoal.

Voltando a Carros, devo dizer que ele não me empolgou. Sua história já foi feita muitas vezes no cinema e não traz novidades. Para crianças ele deve funcionar melhor. A Pixar sempre foi boa em entreter bem adultos e pimpolhos, mas talvez no caso de Carros, a pimpolhice sempre se divertiu mais. Assim, se você tem crianças pequenas, bora para o cinema. Se não tem, que tal ver de novo o Homem-Aranha?

REVER GERAL
Nota:
PONTUAÇÃO GERAL

Vire assinante do Delfos!

Temos planos a partir de R$1,00 mensal e você pode ganhar um monte de coisa legal. Mais importante, você ajuda a gente a tornar o DELFOS cada vez maior e melhor.


Clique aqui e acesso a nossa ágina no Padrim


Se você gosta do nosso conteúdo, também pode ajudar sem colocar a mão no bolso compartilhando este post nas suas redes sociais através dos botões abaixo.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorThe Legend of Zelda: Breath of the Wild – primeiras impressões
Próximo artigoPegue sua guitarra e venha curtir nosso especial Dia do Rock 2017!
Carlos Eduardo Corrales
Editor-chefe e editor de games. Fundou o DELFOS em 2004 e habita mais frequentemente as seções de cinema, games e música. Trabalha com a palavra escrita e com fotografia. Já teve seus artigos publicados em veículos como o Kotaku Brasil e a Mundo Estranho Games. Formado em jornalismo (PUC-SP) e publicidade (ESPM).
  • Rafael Carlos Ferreira

    Bem eu acompanho o Delfos desde 2011, pq veja bem em 2004 no interior a gente não tinha tanto acesso assim na internet rsrs e também eu tinha 10 anos.

  • Gleison Vinicius

    Bom, conheci o Delfos através de um site que citava as suas divertidas “Regras do Power Metal”. Não lembro exatamente quando, mas eu estava na faculdade, acho. Se comecei a faculdade com 18 e hoje tenho 26, é… Já faz um tempinho!

    • Carlos Eduardo Corrales

      Seu comentário foi o de número 42 feito no novo site. Achei que este número de tamanha importância nerd deveria ficar registrada aqui. =]

      • Gleison Vinicius

        Isso definitivamente deve ser algum tipo de sinal para que eu mude de vida!
        . . .
        Ou eu posso apenas continuar trabalhando e jogando mesmo…
        Sou uma pessoa de gostos simples, afinal.
        Mas que fique registrado aqui para a posteridade! Obrigado pela honra e pelo espaço que me dedicou para que essa meta incrível fosse alcançada!
        E que venha o de número 42 mil!

    • diego corrêa de jesus

      acho que sou dessa época das regras do Rock/Metal..Só o antigo modo de comentário que não animava

  • Victor Yago Camilo

    Eita nóis. Eu tô aqui desde 2008, acho!

    Lembro de ter ido em um dos primeiros Encontros Delfianos e ganho um poster d’O Cavaleiro das Trevas de vocês, na época do lançamento dele. Hahaha

  • Carlos Eduardo Corrales

    Muito legal ver há quanto tempo alguns de vocês nos acompanham. Considere meu upvote nos comentários de vocês um high five telepático! E quem ainda não comentou aqui, vai fundo. High fives aguardam!

  • Roberto Vasconcelos Eluan

    Eu sou da velha guarda, estou por aqui no mínimo desde 2005. Hehehehhe.

    • Carlos Eduardo Corrales

      Boa, Birimbeto. Um dos nossos leitores mais antigos. Bora no sábado trocar uma ideia na nossa comemoração? =]

      • Roberto Vasconcelos Eluan

        A vontade é no corpo todo, mas tá difícil percorrer os 5000 km que separam a gente. Heheheh.

  • Felipe Oliveira

    Acompanho o Delfos desde 2007 e, inclusive, já mandei alguns textos nos primórdios, segue alguns :p :

    http://delfos.net.br/ari-koivunen-fuel-for-the-fire/

    http://delfos.net.br/candlemass-king-of-the-grey-islands/

    http://delfos.net.br/as-42-regras-do-death-metal/ (esse foi polêmico na época hahaha)

    Enfim, já passamos por muitas experiências por aqui, mas ainda é só o começo!! m/

  • Marcelo Pereira Rodrigues

    Eu não faço idéia de quando acompanho o Delfos, mas já faz um bom, boooom tempo. 🙂

  • RodriTavares

    desde de 2006 c o fechamento D´Arca, vocês sempre foram leitura frequente, o Delfos acompanhou uma boa fase da minha vida, ensino fundamental(tinha 14 em 2006), ensino médio, nascimento de filho e casamento, faculdade, separação, novo relacionamento, e agora com 25 anos(ainda novo), olho o site com um novo design vejo que eu tbm mudei muito nesses anos, não sou metaleiro from hell, passei da fase de só curtir anime, kkkk a vida é uma constante mudança, mas sempre vou ler os textos do Delfos, até logo meus amigos.

  • André Oliveira

    Eu sou leitor desde 2004! na época o login era andreluiz. Comecei a acompanhar o Delfos com a resenha de Inside my Drums do Aquiles Priester! Sei lá porque mas ainda me lembro disso, talvez porque desde lá acesso o Delfos quase diariamente.