Imagine se você ficasse preso no mesmo dia, sendo obrigado a revivê-lo de novo e de novo. Eu sei, isso aconteceu com o Bill Murray na tremendona comédia Feitiço do Tempo (1993). E torna a acontecer em A Morte Te Dá Parabéns. A diferença é que este é um terror slasher.

A universitária Tree é quem fica presa no loop temporal, justamente no dia do seu aniversário, que já não é uma das datas favoritas dela. Para completar, além de reviver sempre as mesmas coisas, todo final de noite ela é assassinada por um maníaco mascarado.

Aí você sabe, ela terá de descobrir quem está por trás da máscara e dar um jeito de sobreviver aos ataques do assassino para finalmente poder sair do círculo vicioso e passar para um novo dia.Delfos, A Morte Te Dá Parabéns, Cartaz

O longa é um típico terror mainstream que mira um público adolescente. Logo, ele tem todos os vícios do gênero. Mas acho que eu estava com o estado de espírito correto quando peguei a cabine. Estava particularmente a fim de ver algo bem idiota e o filme não decepciona nesse quesito.

Para variar, os personagens são todos extremamente burros, o desenrolar da trama é facilmente adivinhável, as reviravoltas são deveras bestas e essa ideia da versão slasher do dia da marmota claramente renderia muito mais que o feijão com arroz entregue.

E ainda assim eu me diverti. É preciso admitir que a produção sabe que é ruim e abraça a fanfarronice sem medo. No começo, Tree é uma grande mala (para não dizer algo pior) e você torce para que ela morra. À medida em que o dia vai se repetindo e ela acaba sempre morrendo, chega uma hora em que ela liga o “foda-se” e a coisa fica mais divertida.

Nesse sentido, até que a protagonista Jessica Rothe mandou bem na atuação, passando de uma personagem bem odiosa para uma heroína muito mais simpática e até um tanto abilolada depois de já ter revivido o mesmo dia várias vezes.

Também são engraçadas as partes onde ela tenta descobrir quem é o assassino só para errar e invariavelmente acabar morta. Quando o longa assume de vez uma pegada mais humorística, ele fica muito mais agradável, quase uma homenagem às idiotices comuns do gênero.

Delfos, A Morte Te Dá Parabéns
Atrás de você!

Enfim, A Morte Te Dá Parabéns não é um grande filme de terror, mas tem uma premissa boa e um tom mais leve de auto-paródia que o ajudam a se destacar um pouco do resto da multidão. Para quem curte Feitiço do Tempo e sempre quis ver uma versão dele com uma cópia barata do Jason na mistura, essa é a pedida. Basta não esperar muito dele que você deve se divertir.

CURIOSIDADE:

– O roteirista do filme é Scott Lobdell. Quem lia quadrinhos nos anos 1990 deve lembrar dele como o escritor de uma porrada de gibis da linha dos X-Men nesse período. Ele também escreveu alguns episódios da clássica série animada dos mutantes na mesma década.

REVER GERAL
Nota
PONTUAÇÃO GERAL

Vire assinante do Delfos!

Temos planos a partir de R$1,00 mensal e você pode ganhar um monte de coisa legal. Mais importante, você ajuda a gente a tornar o DELFOS cada vez maior e melhor.


Clique aqui e acesso a nossa ágina no Padrim


Se você gosta do nosso conteúdo, também pode ajudar sem colocar a mão no bolso compartilhando este post nas suas redes sociais através dos botões abaixo.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorJogamos The Witcher 3 em 4K no Playstation Pro
Próximo artigoO Blade Runner de 1982 tem uma cena ridícula
Carlos Cyrino
Formado em cinema (FAAP) e jornalismo (PUC-SP), também é escritor com um romance publicado (Espaços Desabitados, 2010) e muitos outros na gaveta esperando pela luz do dia. Além disso, trabalha com audiovisual. Adora filmes, HQs, livros e rock da vertente mais alternativa. Está no DELFOS desde 2005.